JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

TCU quer ouvir Mantega e Arno sobre empréstimos duvidosos a Estados

Área técnica do tribunalquer que os dois expliquem por que os empréstimos com garantias da União foram concedidos quando havia 'evidente deterioração da capacidade de pagamento'

Adriana Fernandes e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2018 | 05h00

BRASÍLIA - O Tribunal de Contas da União (TCU) convocou o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e o ex-secretário do Tesouro Arno Augustin a darem explicações por terem concedido garantias da União a empréstimos a Estados que já apresentavam “evidente deterioração de sua capacidade de pagamento”.

A área técnica da Corte de contas apontou os dois como responsáveis pela prática adotada entre 2011 e 2014, que elevou o endividamento de governos estaduais já em péssimas condições financeiras e resultou no calote dado pelo Estado do Rio de Janeiro, um dos maiores beneficiados pela política de garantias facilitadas.

Só em 2012, o Rio recebeu R$ 8,4 bilhões em garantias para empréstimos na Caixa, Banco do Brasil e organismos multilaterais, segundo a auditoria conduzida pelo TCU. A nota do Estado nessa época era “C”, a penúltima na tabela de classificação de risco e que indica baixa capacidade de pagamento e elevado risco de inadimplência.

O calote se concretizou a partir de 2016, o que obrigou a União a honrar as dívidas no lugar do governo estadual. Por meio de seu advogado, Mantega disse que não comentaria o assunto. Arno Augustin não foi localizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.