1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine

Tendência do dólar é de queda até o fim do ano, diz consultora

Giuliana Vallone, do estadao.com.br

20 Maio 2009 | 17h 12

Para Carla dos Santos, da CBS Brasil, cotação da moeda norte-americana pode chegar a R$ 1,80 no final de 2009

A contínua entrada de estrangeiros no mercado financeiro do País e o saldo positivo da balança comercial vêm trazendo a cotação do dólar frente ao real para baixo nas últimas semanas. A moeda norte-americana fechou em mais uma queda nesta quarta-feira, 20, cotada a R$ 2,028, o menor valor desde 2 de outubro de 2008. E, segundo a sócia da CBS Brasil, Carla dos Santos, a tendência é de valorização do real até o final do ano. Com isso, os produtos importados ficam mais baratos no mercado e os brasileiros que querem viajar para o exterior também se beneficiam.

 

Veja também:

especialEntenda a trajetória de valorização do real

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

Em entrevista ao estadao.com.br, Carla falou sobre o cenário para a moeda americana no Brasil até o fim de 2009 e sobre os beneficiados com a valorização do real. Leia a íntegra:

 

Quem ganha com o dólar mais baixo?

 

Com o dólar mais baixo, o valor das mercadorias importadas fica um pouco mais baixo, então todos esses produtos terão o preço reduzido. Mas essa redução não é imediata. O fabricante vai ter esse ganho, mas ele não consegue baixar na gôndola tão rápido quanto o dólar baixa. Então a indústria consegue ter um ganho um pouco maior. E depois o consumidor final também ganha, porque o preço também abaixa no varejo.

 

Além disso, quem quer viajar para o exterior também se beneficia, porque os pacotes de viagens são dolarizados, então você consegue desembolsar menos reais.

 

O dólar alto compensava, em parte, a queda no volume exportado pelo País em meio à crise. Com a desvalorização da moeda, como fica isso?

 

Para que o dólar continue caindo, a gente tem que traçar o seguinte cenário: houve um investimento um pouco menor em exportações, até por causa da redução de crédito, então, falando da parte de commodities, como a gente vai compensar essa queda do dólar? A gente vai ter uma alta no valor dos commodities, coisa que não está acontecendo com os manufaturados.

 

Muito provavelmente vai haver um pouquinho de inflação de commodities, talvez até um pouquinho de aumento de juros, - mas isso a gente está falando em coisa de 1 ano -, e aí sim a gente deve ter realmente uma depreciação, o dólar pode ficar até abaixo de R$ 1,80.

 

Mas aí esse cenário tem que se consolidar, e me parece que é isso que tá acontecendo. Como o Brasil passou meio de lado nessa crise, muito provavelmente a gente deva ver nesse ano um valor de commodities maior pra compensar a depreciação do dólar. Deve aumentar um pouco de volume e deve aumentar o preço. Em quantidade de dólar, nós vamos ter mais dólares, apesar do valor menor da moeda.

 

É uma boa época para comprar produtos importados?

 

Eu acho que o dólar deve vir bem mais pra baixo. Essa apreciação do real deve continuar durante o ano. Então a gente vai ter o dólar mais barato. Se a pessoa não precisar agora do produto, ela pode pagar um preço menor mais pra frente.

 

Para alguém que vai viajar no começo de junho, é melhor comprar dólar agora ou ele ainda vai cair até o fim do mês?

 

Eu acho que ainda vai cair mais, é melhor esperar pra comprar. A tendência até o final do ano é só cair. Porque se você for ver, esquecendo a balança e pensando em fluxo de investimentos no Brasil, a Bolsa ainda está barata para os estrangeiros. A Bovespa está em 50 mil pontos, para eles, considerando a cotação do dólar, está um pouco acima de 25 mil. Então ainda tem espaço para chegar a 30 mil pontos. Ainda deve entrar bastante fluxo de investimento, e isso traz o dólar mais pra baixo.