1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Toyota mantém liderança em vendas globais de veículos

- Atualizado: 27 Janeiro 2016 | 13h 25

Montadora japonesa comercializou 10,15 milhões de veículos no ano passado, à frente de Volkswagen e GM

Toyota UUV 

Toyota UUV 

A Toyota Motor manteve seu posto como a fabricante de automóveis que mais vende no mundo. A montadora informou nesta quarta-feira que comercializou 10,15 milhões de veículos em 2015. A Toyota também disse que considera assumir o total controle da fabricante de carros pequenos Daihatsu Motor, na qual atualmente tem uma fatia de 51,2%. A Toyota e a Daihatsu disseram que avaliam essa opção, mas entre outras possibilidades, em resposta a uma reportagem do jornal Nikkei.

As vendas da Toyota no ano passado, que incluem as subsidiárias Daihatsu e Hino Motors, caíram 0,8% em comparação com 2014, informou a montadora nesta quarta-feira. As vendas caíram porque os negócios mais fortes nos Estados Unidos não foram suficientes para compensar a desaceleração no Sudeste Asiático e em outros mercados emergentes.

A Toyota se mantém como a montadora com mais vendas em sete dos últimos oito anos, após tomar o posto da GM em 2008. Ela perdeu apenas em 2011, quando teve dificuldade para retomar a produção após um terremoto atingir o Japão.

A Toyota, a Volkswagen e a GM representam cerca de um terço das vendas globais de veículos. Cerca de 90 milhões de unidades foram comercializadas pelo mundo em 2015, segundo estimativas da IHS Automotive. No ano passado, a Volkswagen vendeu 9,9 milhões de veículos, mas teve dificuldades no fim do ano após o escândalo de fraude em testes de emissão de poluentes. A GM comercializou 9,8 milhões de veículos, beneficiando-se da demanda forte nos EUA e do crescimento na China. Fonte: Dow Jones Newswires.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX