1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Executivos do Bradesco lamentam morte e destacam legado de Agnelli

- Atualizado: 20 Março 2016 | 14h 51

Ex-presidente da Vale integrou quadro do banco por anos

O presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão, e o presidente do banco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, lamentaram, em nota ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o falecimento de Roger Agnelli, que integrou o quadro do banco por anos, e familiares. O empresário, esposa, filhos, genro é hora morreram no sábado na queda de um avião, zona norte de São Paulo.

"Lamentamos a perda de Roger Agnelli e familiares em trágico acidente. Ele integrou por muitos anos nosso corpo de executivos, período no qual manteve conduta responsável e correta. Cumpriu com êxito os desafios a ele designados, como a construção da holding Bradespar e a gestão da Vale. Agnelli teve uma existência relevante e deixa legado de trabalho sério e determinado", destacou Brandão.

Avião de pequeno porte cai em casa na zona norte de SP
NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS
Acidente na Casa Verde

Aeronave de pequeno porte cai sobre uma residência na Casa Verde, zona norte de São Paulo

Trabuco lembrou que ele e Agnelli formaram parte na mesma geração de executivos do Bradesco, além de suas qualidades como pessoa e na gestão de negócios. "Ficamos consternados com a informação da perda do Roger Agnelli e familiares. Muita tristeza e muito pesar, pois formamos parte na mesma geração de executivos do Bradesco. Continuamos tendo vínculos, depois, ao sermos contemporâneos, no Rio. O Roger no comando da Vale e, eu, na Bradesco Seguros. Foram anos de convívio sempre agradável e de aprendizado mútuo. Seu estilo expansivo no trato pessoal e resoluto na gestão dos negócios marcou um período de grandes transformações mundiais", afirmou Trabuco

O presidente do Bradesco disse ainda que, na Vale, Agnelli foi "sinônimo de energia". "Fica a saudade e a lembrança, acima de tudo, de um amigo de todas as horas, um entusiasta pela vida e pelo trabalho", acrescentou.

No ano passado, o Bradesco perdeu dois executivos, Marco Antônio Rossi, presidente da Bradesco Seguros e Lúcio Flávio Condurú de Oliveira, da Bradesco Vida e Previdência, além do piloto que também trabalhava para o banco, também em um acidente de avião.

WPP. O grupo de serviços de comunicações WPP, do qual Agnelli fazia parte, lamentou, em nota, a morte do empresário. "O grupo WPP e seus 190.000 profissionais em 112 países expressam as mais profundas condolências sobre a trágica perda do colega Roger Agnelli, sua esposa Andrea e família. Palavras não podem expressar nossa tristeza. Nós estendemos nossos sentimentos aos familiares de Roger e seus muitos amigos", diz o texto. 

"Ele era um homem maravilhoso, feliz e otimista. Um grande brasileiro. Suas contribuições como membro do conselho de administração fez da WPP uma empresa melhor. Ele fará muita falta e será sempre lembrado calorosamente por todos nós", disse o CEO global da companhia, Martin Sorrell.

A Vale também se solidarizou com a família do empresário. "Durante os dez anos em que Roger presidiu a Vale, a companhia se consolidou como a maior produtora global de minério de ferro e a segunda maior mineradora do mundo. Foi durante sua gestão que a Vale intensificou sua estratégia de expansão global, que levou a Vale a um novo patamar no mercado global de mineração", diz em nota.

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX