1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Turistas aplaudem pôr-do-sol no Rio e fogem do calor com banho noturno

Aitor Álvarez García, da EFE

09 Janeiro 2014 | 13h 43

Principal atração turística da cidade que mais atrai visitantes estrangeiros no Brasil  recebe aplausos coletivos diários quando o Sol quente desaparece no mar

RIO - A Pedra do Arpoador, que divide as praias de Copacabana e Ipanema , é o lugar mais concorrido do Rio de Janeiro na hora do pôr-do-sol, especialmente no verão.

Diariamente, milhares de cariocas e turistas comparecem ao local munidos de câmeras fotográficas para registrar as imagens das tardes do cenário mais procurado pelos viajantes estrangeiros no Brasil.

A beleza da paisagem e a trégua no forte calor animam o início da noite e muitos elegem o momento para um banho verdadeiramente refrescante.

O forte calor do verão carioca este ano transformou até as praias em um suplício durante o dia. O Sol parece fogo quando os termômetros marcam temperaturas acima dos 40 graus centígrados, o que é comum nos meses de janeiro e fevereiro.

Por volta das 19 horas, uma massa de pessoas começa a dirigir-se para a Pedra do Arpoador, famosa por ser um ponto de encontro de surfistas, que aproveitam as ondas dia e noite graças à iluminação artificial.

 

Caipirinha. Alguns levam cadeiras e estabelecem uma privilegiada tribuna particular. A vista inclui a praia de Ipanema, o imponente morro Dois Irmãos, com a favela do Vidigal, e o esperado pôr do Sol.

Para tornar a espera ainda mais aprazível, vendedores ambulantes oferecem cerveja, refrescos e caipirinha, bebida que faz sucesso entre os estrangeiros.

O cenário não é exclusivo do Arpoador: em qualquer lugar do Rio de Janeiro há ambulantes oferecendo algo frio para refrescar o calor.

Mas, no Arpoador, quando o Sol finalmente desaparece no mar, todos se unem em um longo aplauso para homenagear um dos pontos altos do turismo na cidade que mais atrai visitantes estrangeiros no Brasil.

Show. O aplauso é de satisfação no destino favorito de 2014, por ser a sede da final da Copa Mundial de Futebol.

Quando a noite começa, muitos mergulham para aproveitar a temperatura um pouco mais agradável, o que significa algo em torno dos 30 graus centígrados às nove da noite.

O mar continua quente e há menos gente na areia. Grupos de amigos, famílias e casais aproveitam a praia com calma. Finalmente podem estar em uma das praias mais famosas do mundo, Copacabana ou Ipanema, sem as dificuldades habituais de qualquer dia de verão.

Carlos Maldonado, um turista paraguaio que está passa férias no Rio com a família, aproveita as horas mais frescas do entardecer depois de horas ao Sol.

Nostalgia. "Trouxemos música, isopor com bebidas, cadeiras e até lanternas, porque queremos aproveitar as horas em que a praia está mais tranquila", diz Carlos, sem levantar-se de seu trono particular instalado a um metro de água.

Os brasileiros também aproveitam a praia noturna. Caroline e Marcio, um jovem casal sentado na areia após o aplauso ao pôr do Sol, asseguram que sempre chegam no fim da tarde para aproveitar a temperatura mais amena e a praia menos cheia.

A noite é o refúgio e o refresco para os turistas que compartilham a alegria com outros visitantes, conhecidos ou não. O entardecer e a noite sempre foram momentos nostálgicos. Imaginá-los no Rio de Janeiro é ainda mais bonito.