1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Um robô pode entregar a sua próxima pizza

- Atualizado: 23 Março 2016 | 05h 00

Rede Domino’s faz testes com robô elétrico em delivery na Austrália

Teste com robôs 'entregadores' começou em Brisbane, na Austrálai
Teste com robôs 'entregadores' começou em Brisbane, na Austrálai
O mais novo entregador da rede de pizzarias Domino’s tem pouco menos de 1 metro e não pede gorjetas. Ele já entrega pizzas em Brisbane, na Austrália, a uma velocidade de 20 quilômetros por hora – e a empresa mal pode esperar o que o futuro lhes reserva com a ajuda de robôs.

“Temos uma paixão sem restrições para levar a entrega de uma pizza para além das fronteiras do que é possível”, disse Michael Gillespie, diretor digital da Domino’s na Austrália. “Não é difícil acreditar que poderemos ter uma loja com alguns robôs fazendo entregas.”

A Domino’s começou a usar um robô chamado DRU (abreviação para Unidade Robótica da Domino’s, em inglês) para entregar pizzas. Até o momento, a empresa só tem uma unidade do robô (que também pode ser chamado de Drew, como a atriz Drew Barrymore, de E.T. – O Extraterrestre), desenvolvido em parceria com a australiana Marathon Robotics.

O DRU anda por ciclovias e calçadas para achar rotas eficientes e rápidas. Para Gillespie, o robô tem a vantagem de “driblar” congestionamentos – o DRU não é usado em estradas e precisaria de aprovação legal para poder fazer isso.

“Precisamos trabalhar com o governo para mudar a regulação”, disse Gillespie. “Trabalhar com eles deve nos levar a um horizonte que as pessoas achavam que estaria no futuro distante.”

Testes. Gillespie conta que ficou animado com os resultados dos testes com o DRU em Brisbane: quem recebeu uma pizza entregue pelo DRU fazia questão de sair de casa, encontrar o robô na calçada e até mesmo puxar um papo com ele.

O DRU tem um compartimento que pode ser aberto, capaz de carregar o que a Domino’s descreve como um pedido padrão de pizza, entradas e drinks. Com um motor elétrico, o DRU pode andar até 20 quilômetros e mandar mensagens de texto para os consumidores ao avisar que está chegando.

Mas, antes que os entregadores de pizza comecem a protestar com receio de perder seus empregos, Gillespie avisa que não há planos de substituí-los pelo DRU nos próximos anos. Ele vê o robô como um complemento para entregas em carros e bicicletas. A ideia, segundo o diretor, é criar novos empregos para humanos na manutenção do equipamento e até mesmo para colocar os pedidos dentro do compartimento especial do DRU.

Para especialistas, a entrega de produtos com robôs é uma tendência para os próximos anos e um exemplo do poder de veículos autônomos, que podem assumir tamanhos e formas diferentes dos carros tradicionais. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX