1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Vallourec encerra produção de aço em Belo Horizonte

- Atualizado: 03 Fevereiro 2016 | 08h 50

Grupo francês desligará dois altos-fornos da unidade de Barreiro, onde trabalham 3,4 mil pessoas

Quadro de funcionários da unidade do Barreiro soma 3,4 mil empregados
Quadro de funcionários da unidade do Barreiro soma 3,4 mil empregados

BELO HORIZONTE - O grupo francês Vallourec, que atua na área de siderurgia, vai encerrar a produção de ferro-gusa e de aço da unidade de Barreiro, em Belo Horizonte. Os dois altos-fornos locais serão desligados até 2018. A capacidade da planta é de 600 mil toneladas de aço por ano. Um dos altos-fornos será desligado em abril. O outro, no segundo semestre de 2018. A produção será transferida para a unidade de Jeceaba, na região central de Minas Gerais, a 120 quilômetros de Belo Horizonte.

A Vallourec é uma das principais fornecedoras de tubos, utilizados por empresas como a Petrobrás na extração de petróleo. A empresa nega que haverá demissões. O quadro de funcionários da unidade do Barreiro soma 3,4 mil empregados. Em Jeceaba, cuja capacidade de produção é de um milhão de toneladas de aço por ano, trabalham 2,1 mil pessoas.

A Vallourec diz que “todos os postos de trabalho envolvidos na mudança já foram amplamente estudados e os impactos serão minimizados com remanejamentos em três frentes de atuação: absorção da mão de obra internamente, principalmente nas áreas de produção da usina Barreiro; transferências para reposição do quadro de pessoal decorrente da rotatividade natural da empresa; e aproveitamento da mão de obra, em substituição gradativa aos empregados já aposentados e dos que vão se aposentar nos próximos três anos, além de possibilidade de transferência para vagas que surgirem em Jeceaba ou outras áreas da empresa.

O anúncio foi feito na segunda-feira, em Paris, onde fica a sede da empresa. Segundo a Vallourec, as mudanças fazem parte de “um pacote de ações estratégicas destinadas a transformar sua estrutura operacional ao redor do mundo. O objetivo é melhorar a competitividade e reforçar a solidez financeira para assegurar um crescimento rentável em longo prazo, com geração de valor aos acionistas”. A empresa afirma que os laminadores e as plantas de acabamento de tubos em Belo Horizonte continuarão operando. A planta no Barreiro foi inaugurada em 1954 pela alemã Mannesmann – as duas empresas se uniram numa joint venture.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX