1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine

Varejo reduz parte do pessimismo com atividade, diz Besi

GABRIELA LARA - Agencia Estado

13 Março 2014 | 10h 57

O economista-chefe do banco Besi Brasil, Jankiel Santos, acredita que o resultado do varejo em janeiro, divulgado nesta quinta-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estanca um pouco o pessimismo com uma possível continuidade de desaceleração da atividade. "Mas não sinaliza um crescimento muito forte no início do ano", disse.

De acordo com o IBGE, as vendas do comércio varejista subiram 0,40% em janeiro ante dezembro de 2013, na série com ajuste sazonal. Já no varejo ampliado, que inclui o desempenho dos setores de material de construção e de veículos, o avanço foi 2,1%, na mesma base de comparação, marcando o melhor resultado desde outubro de 2012.

"Dá para ficar contente porque o dado de varejo mostra que o problema ainda está na oferta e não na demanda", afirmou Santos. Segundo o economista, no entanto, é preciso ponderar que o movimento positivo reflete uma certa compensação do "desastre" que foi o quarto trimestre para os indicadores de varejo e produção industrial.

"Mostra que o início de ano não vai ser catastrófico como foi o quatro trimestre, mas tampouco muito animador", explicou.

Santos disse que a projeção do Besi Brasil para o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de janeiro, de 0,60%, não deve sofrer muita alteração por causa do dado do varejo de hoje. "Não deve mudar muito".

Santos avaliou com naturalidade as revisões para baixo anunciadas pelo IBGE para o resultado do varejo em dezembro, novembro e outubro, na margem. "São revisões normais que acabam acontecendo, não acho que se tenha que levar muito em conta, no próximo mês pode haver uma revisão para cima", disse.