Veículos: desconfie dos juros zero

As promoções de vendas de carros zero a prazo e sem juros podem não ser tão vantajosas quanto parecem. Apesar da garantia das montadoras de que os carros são vendidos a prazo sem nenhum custo adicional, as concessionárias estão oferecendo preços diferenciados para a venda de veículos em parcelas com juros zero e à vista. Na prática, parte dos juros está embutida no preço do carro. Aos olhos do consumidor desatento, a diferença passa por desconto. Analistas de mercado, porém, advertem: tudo não passa de uma jogada de números para embutir os juros. Visitas a concessionárias da Ford, Volkswagen, General Motors e Fiat e comprovam a variação de preços. No caso da GM, a diferença é explícita. Um Corsa Wind 1.0 é apresentado com os dois preços: R$ 15.884 à vista e R$ 16.420 a prazo. O vendedor informa que, se o consumidor pagar 50% do valor como entrada, pode parcelar o restante em 12 meses sem juros. O desconto de 3,3% na compra à vista é apresentado como cortesia da concessionária. Nas outras revendas, a diferença é mais camuflada. Os vendedores apresentam o mesmo preço para a venda a prazo e à vista. Mas é só o cliente chorar um pouco que o desconto logo aparece. "Se você for fechar o negócio agora, eu posso ver com o gerente quanto a gente pode conseguir", disse um vendedor da Hirai Veículos, da Volkswagen. Uma resposta afirmativa foi suficiente para que o preço de um Gol Special zero passasse de R$ 14.800 para R$ 14.000. A diferença de valor revela juros embutidos. Montadoras dizem que só sugerem preço Ford e Volkswagem não se manifestam sobre o assunto. A Fiat e a General Motors garantem que os juros não estão embutidos no preço dos carros. As fábricas alegam que sugerem às concessionárias um preço para venda - tanto à vista quanto a prazo - mas que elas têm liberdade para oferecer descontos para atrair os clientes. Já as concessionárias baseiam-se na lei do mercado para se defender. "Tenho de manter a média de vendas todos os meses. Às vezes prefiro abrir mão de parte do meu lucro para manter as vendas. É um direito dos comerciantes. Não há juros embutidos", justificou Rogério Beraldo, gerente de vendas de uma concessionária Volkswagen. O gerente de uma concessionária da General Motors, que não quis se identificar, disse que o desconto decorre do valor que a revenda tem de repassar à fábrica quando a venda é a prazo. A diferença entre o preço parcelado e à vista seria equivalente ao valor do repasse. "Como o dinheiro não vem para nós, preferimos oferecer um preço melhor ao cliente", disse Preços sugeridos superam valor de mercado O sacrifício das concessionárias, no entanto, pode ser menor do que parece. Segundo Vitor Meizikas, analista de mercado da Molicar Serviços Técnicos, os preços sugeridos pelas fábricas já são elevados o suficiente para que elas possam oferecer a "cortesia" aos clientes sem que a diferença afete o seu caixa. "Não existem juros zero. Tudo indica que as tabelas de preços já estão acima do mercado". Mesmo sem perceber, o gerente Beraldo confirma a hipótese. Segundo ele, um Gol 8 válvulas Power pode ser conseguido na fábrica por cerca de R$ 17.500. Mesmo com o desconto, o veículo é vendido na loja por R$ 19.500. Lucro de 11,5%. Joel Leite, diretor da agência de comunicação especializada no mercado de veículos AutoInforme, faz coro com Meizikas. "Pelo menos 80% dos carros zero são vendidos hoje abaixo da tabela das fábricas. A média é que o valor seja 7% menor", disse Leite.

Agencia Estado,

07 Dezembro 2001 | 17h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.