Vendas da Danone crescem 4,7% no terceiro trimestre

Vendas da Danone crescem 4,7% no terceiro trimestre

Na comparação com o mesmo período do ano passado, valor das vendas atingiu US$ 7,61 bilhões

Nayara Figueiredo com Dow Jones Newswires, O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2017 | 16h21

PARIS - A fabricante francesa de laticínios Danone registrou alta de 4,7% nas vendas do terceiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2016, para 6,45 bilhões de euros (US$ 7,61 bilhões), informou a empresa nesta terça-feira, 17. 

O desempenho foi sustentado por uma nova base da companhia, denominada "like-for-like New Danone", que considera a aquisição da WhiteWave, norte-americana de alimentos embalados e bebidas, concluída em abril. No resultado consolidado de vendas, o avanço foi de 16,6%. A Danone reafirmou a expectativa de encerrar 2017 com crescimento acima de 12% no lucro por ação. 

O resultado trimestral foi influenciado pela categoria de nutrição especializada, cuja comercialização cresceu 17,8% na New Danone, na região geográfica composta por China e Brasil. Mas o saldo positivo foi completamente puxado pela demanda chinesa por alimentação infantil e bebidas, visto que, segundo a empresa, o mercado brasileiro registra alto nível de desemprego e deterioração do segmento de laticínios. 

Além do crescimento sólido na China, na média de 50%, a nutrição especializada teve avanço de dois dígitos na América do Norte e América Latina. Especificamente nos Estados Unidos, houve progresso superior a 20% em alimentos orgânicos.  

++ Cooperativa tenta sair da sombra da Batavo

O CEO da companhia, Emmanuel Faber, destacou que a integração com a WhiteWave está em progresso e começa a produzir resultados. Para ele, o aumento nas vendas do terceiro trimestre "reflete a força" do portfólio da Danone com marcas focadas na saúde do consumidor.

No acumulado dos nove primeiros meses do ano, as vendas totalizaram 18,58 bilhões de euros (US$ 21,85 bilhões), incremento de 2,1% na New Danone e elevação de 12% no consolidado da companhia, quando comparado ao igual intervalo de 2016. 

Mais conteúdo sobre:
Danone

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.