Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Vendas no varejo caem 0,2% em fevereiro ante janeiro, aponta IBGE

Recuo foi puxado por queda de vendas em supermercados; na comparação com o mesmo período do ano passado, porém, indicador teve alta de 1,3%

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2018 | 09h26

RIO - As vendas do comércio varejista caíram 0,2% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio abaixo da mediana das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 1,00% a avanço de 1,20% (mediana positiva em 0,65%).

Na comparação com fevereiro de 2017, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,3% em fevereiro de 2018. Nesse confronto, as projeções iam de uma expansão de 1,60% a 4,70%, com mediana positiva de 3,40%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 2,3% no ano. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 2,8% – o melhor desempenho desde outubro de 2014, quando o crescimento acumulado estava em 3,1%. O resultado mantém a trajetória ascendente iniciada em outubro de 2016.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, a alta acumulada de 5,4% nos 12 meses terminados em fevereiro é a taxa mais elevada desde junho de 2013, quando estava em 5,8%.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 0,1% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio perto do piso do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 0,50% a um avanço de 1,90%, com mediana positiva de 0,40%.

Na comparação com fevereiro de 2017, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 5,2% em fevereiro de 2018. Nesse confronto, as projeções variavam de uma expansão de 4,50% a 9,40%, com mediana positiva de 6,30%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 5,9% no ano. Em 12 meses, o resultado foi de avanço de 5,4%.

Setores. O varejo registrou queda em quatro das oito atividades pesquisadas na passagem de janeiro para fevereiro. O recuo mais relevante foi observado em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,6%), setor de maior peso no varejo. As demais quedas ocorreram em Tecidos, vestuário e calçados (-1,7%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,8%) e Combustíveis e lubrificantes (-1,4%).

Na direção oposta, houve crescimento em Móveis e eletrodomésticos (1,5%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,8%); Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (2,7%); e Livros, jornais, revistas e papelarias (1,6%).

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, houve ligeira queda de 0,1% em fevereiro ante janeiro. As vendas de Veículos e motos, partes e peças tiveram avanço de 2,5%, enquanto Material de construção registrou aumento de 0,3%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.