'Voltar a crescer será trabalho de formiguinha'

Para o economista José Julio Senna, da FGV, o juro real, influenciado pelo avanço do risco País, tende a subir

O Estado de S.Paulo

10 Setembro 2015 | 02h02

A perda do grau de investimento do Brasil pela agência de classificação de risco Standard & Poor's deixará um saldo bastante negativo para a economia brasileira, afirma o economista José Julio Senna, chefe do Centro de Estudos Monetários do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV).

Segundo ele, o juro real, influenciado pelo avanço do risco País, tende a subir, haverá retração e encarecimento do crédito e a desaceleração econômica vai continuar. "A melhora da economia requer um estado de espírito positivo, que não existe hoje no País."

O economista afirma que a perda do rating vai levar muitos fundos a retirar dinheiro do Brasil, embora muitos já tenham feito isso desde que a crise política piorou. Na avaliação de Senna, sair desse imbróglio não será uma tarefa fácil, especialmente porque o quadro econômico não está melhorando e a crise política não tem perspectiva de acabar.

A previsão, diz o economista, é que a percepção de risco aumente e o dólar continue a subir. "Esse cenário vai continuar assim até que medidas concretas sejam tomadas e consigam reverter o clima ruim entre os agentes do mercado e investidores."

Para Senna, será um trabalho de formiguinha retomar o caminho do crescimento e da solidez econômica.

/ R.P.

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo rebaixamento S&P

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.