Free Images
Free Images

Eficiência é ‘chave’ para uma companhia superar crise

Especialistas debatem papel da governança para uma empresa atravessar momentos de aperto financeiro

O Estado de S. Paulo

22 Setembro 2015 | 05h00

Em meio à crise econômica no País, companhias têm cortado pessoal para reduzir custos. Diante do aperto financeiro, o mais importante, no entanto, é investir em formas de melhorar a eficiência das operações, apontam especialistas em debate no fórum virtual de governança corporativa, organizado pelo Estado.

“Cortar pessoal é a forma mais simples de reduzir custos, mas não a mais eficiente”, afirma Luiz Edmundo Rosa, diretor da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH). “Uma crise é sempre um convite para inovação na gestão da companhia”, completa.

A visão é compartilhada pelo coordenador da Comissão de Governança em Saúde do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), Luiz de Luca, que enxerga na governança uma maneira de aprimorar processos e gerar valor. 

“A governança ajuda as organizações a implementarem uma sólida estrutura de controle e monitoramento, o que gera eficiência operacional”, afirma.

Diretor da consultoria Accenture Strategy, Mattiew Govier afirma que, para uma companhia ser sustentável, ela deve ter um plano de redução de custos estruturado, principalmente durante crises. 

“É preciso descobrir desperdícios de dinheiro, onde há um retorno baixo do que se gasta, e realocar esses recursos num investimento que dê retorno melhor”, defende.

Segundo o presidente executivo da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Jairo Martins, o investimento em produtividade é crucial para empresas. 

“O desempenho da organização é medido pela forma como ela utiliza recursos, pelo nível de eficácia e excelência. E produtividade é isso: gerar mais valor com menos recursos”, afirma.

Na visão do diretor de divisão da consultoria Luz, Décio Cunha, empresas brasileiras, porém, têm implementado uma governança “para inglês ver”, visando somente aproveitar o “valor de marketing” que o tema tem no País. “A governança] é um processo muito mais lento, com resultado no longo prazo.”

Mais conteúdo sobre:
governança corporativa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.