1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Bovespa sobe 4% com disparada de Petrobrás e Vale; dólar cai e fecha cotado a R$ 3,94

- Atualizado: 22 Fevereiro 2016 | 18h 51

Petrobrás PN disparou 13,00% e a ON, 16,14%, sob influência direta da escalada do petróleo no exterior, e Vale PNA valorizou 8,17% e a ON, 11,07%

Ações da Petrobrás e Vale impulsionam Ibovespa

Ações da Petrobrás e Vale impulsionam Ibovespa

 

No primeiro dia da semana, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou com valorização de 4,07%, aos 43.234,85 pontos. Desde o início do pregão, o índice caminhou em terreno positivo, impulsionado por um grande movimento de compra, com base em notícias externas favoráveis, principalmente vindas da China, e em valorizações dos preços de commodities. No Brasil, a nova fase da Operação Lava Jato também favoreceu a busca por ações.

No mercado câmbio, o avanço firme do petróleo no exterior abriu espaço hoje para o recuo do dólar ante várias divisas de exportadores de commodities, como o real. Em meio a estes fatores, o dólar fechou em baixa de 1,94%, aos R$ 3,9417. 

Assim que teve início o pregão, o Ibovespa operou em alta de mais de 4%, com destaque para as blue chips (empresas com as ações mais negociadas). Na mínima, a Bolsa marcou 41.544 pontos (estável) e, na máxima, 43.345 pontos (+4,34%). No mês, acumula ganhos de 7,00% e, no ano, queda de 0,26%. O giro financeiro totalizou R$ 6,723 bilhões, segundo dados preliminares. 

"A posição técnica do mercado é vendido, ele está mais pessimista. Mas cada vez que há uma notícia que ameaça ser boa para o mercado, os investidores vão às compras, seja pelo preço ou para zerar posições", afirmou o economista-chefe da Nova Futura Corretora, Pedro Paulo da Silveira. Segundo ele, o mercado global mudou a percepção de risco com a possibilidade de mudança da política no mercado de capitais da China, após o anúncio de novas medidas ao setor imobiliário e troca do diretor da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários (CSRC) do país. 

O resultado ruim do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que mede a atividade nos setores industrial e de serviços, que atingiu o menor nível em 13 meses, traz a expectativa de novos estímulos por parte do Banco Central Europeu (BCE). Além disso, as valorizações dos preços das commodities no mercado internacional, em especial os do petróleo, também deram o tom positivo à Bolsa brasileira. O petróleo Brent para abril negociado na ICE fechou em alta de 5,09% nesta segunda-feira, enquanto na Nymex houve valorizações de 6,20% (março) e 5,16% (abril).

No front doméstico, a nova fase da Operação Lava Jato, a 23ª etapa denominada Acarajé, deflagrada hoje pela manhã, animou o mercado financeiro nacional. "A volatilidade ainda está forte, mas notícias que deixam o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT) mais perto, é aplaudido pelo mercado de capitais", ressaltou o analista da Lopes Filho, João Augusto Salles.

Dentre os destaques de alta, Petrobrás PN disparou 13,00% e a ON, 16,14%, sob influência direta da escalada do petróleo no exterior. Vale PNA valorizou 8,17% e a ON, 11,07%. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX