Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » Bovespa sobe 4% com disparada de Petrobrás e Vale; dólar cai e fecha cotado a R$ 3,94

Economia & Negócios

Paulo Whitaker/Reuters

Economia

Dólar

Bovespa sobe 4% com disparada de Petrobrás e Vale; dólar cai e fecha cotado a R$ 3,94

Petrobrás PN disparou 13,00% e a ON, 16,14%, sob influência direta da escalada do petróleo no exterior, e Vale PNA valorizou 8,17% e a ON, 11,07%

0

Suzana Inhesta, Fabrício de Castro,
O Estado de S. Paulo

22 Fevereiro 2016 | 11h47
Atualizado 22 Fevereiro 2016 | 18h51

 

No primeiro dia da semana, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou com valorização de 4,07%, aos 43.234,85 pontos. Desde o início do pregão, o índice caminhou em terreno positivo, impulsionado por um grande movimento de compra, com base em notícias externas favoráveis, principalmente vindas da China, e em valorizações dos preços de commodities. No Brasil, a nova fase da Operação Lava Jato também favoreceu a busca por ações.

No mercado câmbio, o avanço firme do petróleo no exterior abriu espaço hoje para o recuo do dólar ante várias divisas de exportadores de commodities, como o real. Em meio a estes fatores, o dólar fechou em baixa de 1,94%, aos R$ 3,9417. 

Assim que teve início o pregão, o Ibovespa operou em alta de mais de 4%, com destaque para as blue chips (empresas com as ações mais negociadas). Na mínima, a Bolsa marcou 41.544 pontos (estável) e, na máxima, 43.345 pontos (+4,34%). No mês, acumula ganhos de 7,00% e, no ano, queda de 0,26%. O giro financeiro totalizou R$ 6,723 bilhões, segundo dados preliminares. 

"A posição técnica do mercado é vendido, ele está mais pessimista. Mas cada vez que há uma notícia que ameaça ser boa para o mercado, os investidores vão às compras, seja pelo preço ou para zerar posições", afirmou o economista-chefe da Nova Futura Corretora, Pedro Paulo da Silveira. Segundo ele, o mercado global mudou a percepção de risco com a possibilidade de mudança da política no mercado de capitais da China, após o anúncio de novas medidas ao setor imobiliário e troca do diretor da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários (CSRC) do país. 

O resultado ruim do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que mede a atividade nos setores industrial e de serviços, que atingiu o menor nível em 13 meses, traz a expectativa de novos estímulos por parte do Banco Central Europeu (BCE). Além disso, as valorizações dos preços das commodities no mercado internacional, em especial os do petróleo, também deram o tom positivo à Bolsa brasileira. O petróleo Brent para abril negociado na ICE fechou em alta de 5,09% nesta segunda-feira, enquanto na Nymex houve valorizações de 6,20% (março) e 5,16% (abril).

No front doméstico, a nova fase da Operação Lava Jato, a 23ª etapa denominada Acarajé, deflagrada hoje pela manhã, animou o mercado financeiro nacional. "A volatilidade ainda está forte, mas notícias que deixam o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT) mais perto, é aplaudido pelo mercado de capitais", ressaltou o analista da Lopes Filho, João Augusto Salles.

Dentre os destaques de alta, Petrobrás PN disparou 13,00% e a ON, 16,14%, sob influência direta da escalada do petróleo no exterior. Vale PNA valorizou 8,17% e a ON, 11,07%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.