1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Após atingir maior valor do Plano Real, dólar cai para R$ 4,10

- Atualizado: 22 Janeiro 2016 | 18h 44

Moeda fechou com recuo de 1,59%, depois de atingir a cotação de R$ 4,17 na véspera; recuperação do petróleo ajuda a Bolsa

SÃO PAULO - Após a disparada de ontem, quando atingiu o valor nominal recorde desde o início do real, o dólar passou hoje por ajustes técnicos, com investidores realizando os lucros mais recentes (vendendo moeda). O recuo do dólar no exterior, onde o petróleo voltou a apresentar fortes ganhos, também ajudou a conduzir a baixa das cotações no Brasil.

O dólar fechou em baixa de 1,59%, aos R$ 4,1041. Na semana, porém, acumulou alta de 1,38%. Já o Ibovespa - principal índice da Bolsa - fechou em alta de 0,83%.

Nesta quinta-feira, o dólar atingiu o maior valor da história do Plano Real: R$ 4,1705

Nesta quinta-feira, o dólar atingiu o maior valor da história do Plano Real: R$ 4,1705

O viés negativo para o dólar era forte desde cedo. Por um lado, alguns investidores aproveitaram os avanços mais recentes para diminuir posições compradas (de alta da moeda) no mercado futuro - o mais líquido -, o que acabava colocando as cotações à vista para baixo. Por outro, o exterior ajudava, pois o petróleo voltou a registrar ganhos tanto em Londres quanto em Nova York. 

Por trás do cenário de recuperação lá fora estavam declarações do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, reiterando a possibilidade de adoção de mais estímulos para a economia da zona do euro. Já o presidente do Banco do Japão (BoJ, p banco central do país), Haruhiko Kuroda, disse que a instituição está pronta a "expandir ainda mais, ou fortalecer ainda mais" seu programa de relaxamento quantitativo, "se necessário".

O dólar oscilou em baixa durante toda a sessão. Na máxima do dia, às 12h08, marcou R$ 4,1334 (-0,89%) e, na mínima, às 13h33, atingiu R$ 4,1027 (-1,63%). Durante a tarde, com as mesas de operação já mais vazias, antes do fim de semana prolongado em São Paulo (aniversário da cidade no dia 25), as oscilações foram menores.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX