Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » Após fortes perdas, setor bancário se recupera e bolsas na Europa sobem

Economia & Negócios

Kai Pfaffenbach/Reuters

Após fortes perdas, setor bancário se recupera e bolsas na Europa sobem

Onda de aversão ao risco que atingiu o mercado financeiro europeu nos últimos dias parece ter se dissipado temporariamente; bolsas na região tiveram três dias seguidos de grandes quedas

0

Fernando Nakagawa,
O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2016 | 09h08

LONDRES - Após três sessões seguidas com fortes perdas, as bolsas europeias tentam se reerguer na manhã desta quarta-feira, 10. A reação das ações do setor bancário e a recuperação parcial das commodities abrem espaço para a alta dos papéis. Analistas notam, porém, que nada mudou substancialmente no cenário e permanecem os riscos que derrubaram os ativos nos últimos dias.

Às 13h30 horas (de Brasília), os principais mercados europeus operavam em firme alta: Londres subia 0,97%, Frankfurt ganhava 2,47%, Paris avançava 2,45%, Madri registrava valorização de 3,63% e Milão subia ainda mais fortemente, com alta de 5,12%. 

A onda de aversão ao risco que atingiu o mercado financeiro europeu nos últimos dias parece ter se dissipado temporariamente. Nos negócios da manhã, as principais bolsas da região apresentam alta vigorosa, com a percepção de que houve exagero na mão vendedora. Símbolo da desconfiança do início da semana, as ações do Deutsche Bank também lideram a reação. Compradores voltaram e a ação do banco alemão sobe mais de 8% em Frankfurt.

Na noite desta terça-feira, o jornal britânico Financial Times publicou reportagem em que afirma que a direção do Deutsche Bank estaria considerando recomprar vários bilhões de euros em títulos da dívida do próprio banco, após a queda expressiva dos papéis nos últimos dias. Até o poderoso ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, saiu em defesa do banco privado alemão e disse que não se preocupava com o tema.

A valorização do banco alemão contrasta com a desconfiança que surgiu recentemente sobre a saúde do setor financeiro europeu. Instigados pelo temor de que há problemas dentro das casas bancárias e que as instituições ainda sofrerão pelo ambiente de juros negativos, muitos investidores se desfizeram de posições e os papéis do setor foram duramente castigados em vários países como Alemanha, Espanha e Itália. "Embora seja fácil sugerir que essa venda recente que atingiu os bancos tenha sido exagerada, confiança é tudo para o setor bancário. Como a história mostrou em 2008, uma vez que a confiança vai embora, é muito difícil voltar", comentou Michael Hewson, analista da corretora CMC Markets.

Ásia. Na Ásia, a tendência foi de baixa nos mercados. A Bolsa de Tóquio voltou a apresentar fortes perdas nesta quarta-feira, em meio a preocupações com a desaceleração da economia e a tendência de fraqueza do petróleo, que mantiveram as ações de energia e do setor financeiro pressionadas.  O Nikkei, índice que reúne as empresas mais negociadas na capital do Japão, caiu 2,31%, após sofrer um tombo de 5,4% na sessão anterior. O avanço do iene ante outras moedas importantes, como o dólar e o euro, continua pressionando as ações em Tóquio. O iene, que costuma atrair demanda em momentos de incerteza, torna as exportações japonesas menos competitivas quando se fortalece.

Receios causados pelo setor bancário global também ajudam a pressionar os papéis dos bancos japoneses, que já enfrentam a perspectiva de lucros menores após a decisão do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), no fim de janeiro, de cortar sua taxa de depósitos, de 0,1% para -0,1%. No setor financeiro, os destaques de baixa em Tóquio hoje incluíram Mitsubishi UFJ Financial Group (-7,08%), Mizuho Financial Group (-5,4%) e Sumitomo Mitsui Financial Group (-4,04%). A continuidade da fraqueza do petróleo, que ontem caiu quase 6% em Nova York e perto de 8% em Londres, afetou as ações de petrolíferas japonesas. Foi o caso da Inpex (-2,81%) e da Japan Petroleum (-4,04%).

Outros grandes mercados asiáticos permaneceram fechados hoje em função do feriado do ano-novo chinês, que está sendo celebrado ao longo da semana. Além dos mercados chineses - de Xangai e de Shenzhen -, ficaram fechadas as bolsas de Hong Kong, Taiwan e Coreia do Sul. Os negócios nos mercados de Hong Kong e sul-coreano serão retomados nesta quinta-feira./ Colaborou Sergio Caldas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.