Banco Central intervém no mercado vendendo dólar acima de R$ 4

Banco Central realizou dois leilões, com taxas de R$ 4,014 e R$ 4,121; esta foi a primeira ação para conter a alta do dólar desde o anúncio do rebaixamento do Brasil pela S&P

Célia Froufe, O Estado de S. Paulo

10 Setembro 2015 | 11h07

BRASÍLIA - O Banco Central realizou pela manhã dois leilões de venda de dólares conjugados com recompra da moeda estrangeira, denominados leilões de linha. Foram ofertados até US$ 1,5 bilhão distribuídos, a critério do BC, nas duas operações. A instituição não informa quanto foi emprestado ao mercado. Essa informação só será conhecida na quarta-feira seguinte à liquidação da venda, junto com a divulgação dos números do fluxo cambial.

No leilão "A", com recompra em 4 de janeiro de 2016, a taxa de corte ficou em R$ 4,0144460. Já no leilão "B", com recompra em 4 de abril de 2016, a taxa de corte foi de R$ 4,121420. Esta foi a primeira ação do Banco Central para conter a alta do dólar no início dos negócios gerada pelo anúncio de rebaixamento do Brasil pela agência de classificação Standard & Poor's. 

O presidente da instituição, Alexandre Tombini, inclusive, deixou de participar de teleconferência com a imprensa marcada para às 11 horas de hoje para poder monitorar a reação dos mercados financeiros à notícia. 

A taxa de venda nas duas operações foi de R$ 3,874800. As operações de venda serão liquidadas na próxima segunda-feira, dia 14 de setembro. Com estas operações, o BC está coloca dinheiro novo no mercado.

Mais conteúdo sobre:
Banco Central dólar leilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.