Bolsas da Europa caem com recuo do petróleo

As bolsas européias fecharam em baixa nesta terça-feira, com a queda das ações do setor de energia em razão do recuo dos preços do petróleo (BP -1,5%, Royal Dutch Shell -0,7%, Total -1,8%, Cairn Energy -1,5%). Em Londres, o índice FT-100 encerrou em baixa de 19,60 pontos, ou 0,33%, aos 6.004,70 pontos. As ações da empresa de abastecimento Severn Trent subiram 6,3%, depois de o grupo afirmar que planeja separar-se de sua unidade Biffa. Os papéis da GlaxoSmithKline recuaram 1,5%. Vodafone ganhou 0,2%, após o japonês Softbank lançar oficialmente uma oferta pela unidade da empresa britânica naquele país. A expectativa é que a transação seja concluída até 1º de maio. BAE Systems avançou 3,7%, com uma notícia publicada pelo Daily Telegraph informando que a companhia desistiu do plano de pagar US$ 10 bilhões para adquirir a norte-americana L-3 Communications. Em Paris, o índice CAC-40 caiu 49,45 pontos, ou 0,94%, para 5.205,81 pontos. Arcelor cedeu 0,9%, depois de anunciar um pagamento especial de mais de US$ 6 bilhões para os acionistas. Lafarge, do setor de construção, recuou 0,3%, com a elevação de sua oferta para comprar o restante de sua unidade norte-americana. Alcatel perdeu 2,3%, com receio entre os investidores de que a EADS poderá prejudicar sua aliança com a Thales. EADS apresentou queda de 2,2%. O índice Dax da Bolsa de Frankfurt registrou baixa de 10,20 pontos, ou 0,17%, para 6.013,85 pontos. Volkswagen subiu 2,05%. Continental ganhou 3,25%, ainda beneficiada pelo acordo para comprar a divisão de aparelhos eletrônicos automotivos da Motorola. A Bolsa de Milão fechou com o índice S&P/Mib em queda de 241 pontos, ou 0,63%, aos 38.039 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 caiu 26,20 pontos, ou 0,22%, aos 11.893,80 pontos. Inditex recuou 2,2%, depois de ter atingido cotação recorde ontem. A Bolsa de Lisboa encerrou com o índice PSI-20 em queda de 37,52 pontos, ou 0,37%, aos 10.235,75 pontos, com os investidores realizando lucros. Portugal Telecom terminou estável. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

04 Abril 2006 | 15h26

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.