Bolsas de NY caem à espera de discurso de Bernanke

Wall Street iniciou a sessão desta quinta-feira em baixa, com considerações sobre o potencial efeito da alta no juro chinês no crescimento global e sobre o resultado de muitas companhias, especialmente dos segmentos de metais e de infra-estrutura. O fraco resultado da ExxonMobil também influencia os negócios em Nova York e facilita a realização, tendo em vista de ontem o índice Dow Jones que fechou na máxima em seis anos. Mas as atenções estarão todas voltadas ao Congresso norte-americano, onde o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, falará às 11 horas (de Brasília) sobre a economia a um comitê conjunto. Espera-se que Bernanke seja questionado sobre o significado de "próximo" no trecho do comunicado da reunião de março, onde o Fed destacou que "a maior parte dos membros acreditam que o fim do processo de aperto monetário deve estar próximo". Às 10h37 (de Brasília), o Nasdaq caía 0,67%, o Dow Jones, -0,57% e o S&P 500 recuava 0,38%. As ações da ExxonMobil recuaram 2% no pré-mercado, com a divulgação de aumento para US$ 88,98 bilhões nas receitas durante o primeiro trimestre, de US$ 82,05 bilhões no mesmo período do ano passado, abaixo da previsão dos analistas de US$ 100,83 bilhões. Os papéis da Lucent tiveram queda de 3,5%, na esteira do resultado da Alcatel, que comprou a empresa, cujo lucro caiu 16% no trimestre. A Alcatel previu também retração no crescimento em suas vendas nos próximos meses. As ações da empresa cederam 5% em Paris. As informações são da Dow Jones e agências internacionais.

Agencia Estado,

27 Abril 2006 | 10h43

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.