1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Bolsas europeias fecham em alta generalizada

SERGIO CALDAS - Estadão Conteúdo

19 Agosto 2014 | 13h 49

As bolsas europeias fecharam em alta generalizada pelo segundo dia consecutivo nesta terça-feira, com o progresso no cenário geopolítico ainda alimentando o apetite por ações. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 0,57%, a 335,49 pontos.

Embora continuem os conflitos na deflagrada região leste da Ucrânia, foi anunciado mais cedo que os presidentes russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Petro Poroshenko, vão se reunir no próximo dia 26 para discutir uma solução diplomática à crise iniciada no Leste Europeu há quatro meses. Já no Iraque, forças curdas consolidaram a retomada da estratégica represa de Mosul que havia sido ocupada por militantes islâmicos, com a ajuda da força aérea dos EUA.

Números positivos do setor imobiliário norte-americano também contribuíram para a demanda maior por ações na Europa. Em junho, as construções de moradias iniciadas nos EUA saltaram 15,7% ante o mês anterior, superando de longe a previsão de um avanço de 7,6%.

Em Londres, o índice FTSE-100 avançou 0,56%, a 6.779,31 pontos, apesar de dados de inflação mais fracos que o esperado do Reino Unido. A BHP Billiton, porém, despencou 4,93%, após a mineradora anunciar que vai cindir vários ativos e criar uma nova companhia, a ser listada na Austrália. No mercado francês, o CAC-40, das ações mais negociadas em Paris, também subiu 0,56%, a 4.254,45 pontos. Renault e Valeo, que têm forte presença na Rússia, saltaram 1,2 e 4,1%, respectivamente, diante da relativa amenização das tensões na Ucrânia.

A valorização do DAX, da Bolsa de Frankfurt, foi ainda maior, de 0,96%, a 9.334,28 pontos. Os destaques na praça alemã foram ThyssenKrupp (+2%), após notícias de que o conglomerado poderá dobrar seu lucro este ano, e Bayer (+1,8%), que teve sua recomendação elevada pela UBS, de neutra para compra.

Entre os mercados europeus considerados periféricos, o índice PSI-20, de Lisboa, teve alta de 0,76%, a 5.697,25 pontos, enquanto o IBEX-35, de Madri, subiu 0,32%, a 10.386,50 pontos, e o FTSE-Mib, de Milão, mostrou ganho marginal de 0,02%, a 19.644,37 pontos, ainda que a Telecom Italia tenha avançado 1,42%, após a notícia ainda não confirmada de que seu conselho executivo se reunirá na próxima semana para discutir uma oferta de aquisição da brasileira GVT. Com informações da Dow Jones Newswires.