1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Bovespa perde fôlego com abertura em NY

LUCIANA ANTONELLO XAVIER - Agência Estado

26 Junho 2014 | 10h 57

Contrariando o fraco humor no exterior, a Bovespa começou o pregão computando ganhos, numa clara recuperação após a queda de 1,58% ontem, mas perdeu força com a abertura das bolsas em Wall Street, chegando a testar o terreno negativo por instantes.

Perto das 10h37, o Ibovespa subia 0,08%, aos 53.468,38 pontos. Algumas ações de maior peso no índice subiam, com destaque para Itaú Unibanco (+0,46%) e Bradesco PN (+0,43%). Os papéis da Vale seguiram fortes após a abertura em NY, impulsionados pela alta dos preços do minério de ferro (PNA +1,82% e ON +2,62%). As ações da Petrobras, que subiam antes, viraram há pouco: Petrobras PN (-1,45%), Petrobras ON (-1,05%).

Os juros dos Treasuries renovaram as mínimas mais cedo após os gastos com consumo terem aumentado menos do que o esperado em maio, com alta de 0,2%, de previsão de +0,4%. Outros dados vieram em linha: a renda pessoal cresceu 0,4% em maio e núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE) subiu 0,2% em maio, enquanto os pedidos de auxílio-desemprego na semana passada caíram para 312 mil, levemente acima da previsão de queda para 310 mil. Os números relacionados ao consumo são um importante sinal sobre a economia dos Estados Unidos, especialmente depois do PIB do país no primeiro trimestre ter sido revisado para queda de 2,9% na terceira leitura, de 1,0% anteriormente e projeção de -2,0%, influenciado pela piora dos gastos dos consumidores.

Em NY, às 10h33, o Dow Jones caía 0,18%, o Nasdaq recuava 0,09% e o S&P 500 estava em -0,17%. O juro da T-Note de 10 anos caía a 2,538%, de 2,559% no fim da tarde de ontem em NY. O juro da T-Note de 2 anos a 0,473%, na mínima, de 0,480%, estável ante o fim da tarde de ontem.