1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Dólar abre em leve queda, cotado a R$ 2,2850

ÁLVARO CAMPOS - Estadão Conteúdo

26 Agosto 2014 | 09h 45

As especulações em torno do noticiário eleitoral, que já dominara a atenção dos investidores na segunda-feira, 25, devem continuar dando o tom dos negócios domésticos nesta terça-feira, 26. Na abertura, porém, o dólar começou em queda ante o real, devolvendo parte dos ganhos da véspera e em linha com o comportamento da divisa norte-americana no exterior.

Por volta das 9h25, o dólar à vista no balcão caía 0,04%, a R$ 2,2850, após terminar com alta de 0,26% ontem. No mercado futuro, o dólar para setembro recuava 0,11%, a R$ 2,2895. O dólar também caía na comparação com outras moedas emergentes e de países exportadores de commodities, como a lira turca (-0,38%), o rand sul-africano (-0,22%) e o dólar australiano (-0,21%). O índice ICE Dollar, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de seis principais rivais, operava estável, aos 82,55 pontos.

A expectativa pela pesquisa Ibope, prevista para às 18 horas, e pelo primeiro debate entre os candidatos à Presidência na tevê Bandeirantes, hoje à noite, deve fortalecer as apostas no crescimento das intenções de votos para os candidatos de oposição ao longo do dia nos mercados brasileiros. Será o primeiro levantamento do Ibope tendo Marina Silva como a candidata do PSB à Presidência da República e, conforme palavras do coordenador financeiro de campanha do partido, deputado Márcio França, "o resultado virá avassalador", mostrando que Marina é uma das favoritas na corrida presidencial.

Ontem, essas especulações já provocaram uma forte alta da Bolsa e também colaboraram para os ganhos do dólar, com a visão de que uma troca de governo e, consequentemente, do comando do Banco Central, levaria ao fim do programa de swap cambial.

No cenário externo, o destaque é a reunião prevista hoje entre o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o líder da Ucrânia, Petro Poroshenko, na Bielorrússia, para discutir a crise na fronteira entre os dois países, após a polêmica gerada pela iniciativa de Moscou de tentar enviar caminhões com suposta ajuda humanitária.

Nos Estados Unidos, dados de encomendas de bens duráveis em julho divulgados há pouco mostraram um salto de 22,6%, bem acima da projeção de +7,5%. Já o índice de confiança do consumidor em agosto, calculado pelo Conference Board, está previsto para 11 horas, mesmo horário em que será anunciado o índice de atividade regional em agosto do Fed de Richmond. Antes, às 10 horas, os investidores conhecerão o indicador de preços de moradias de 20 cidades americanas calculado pela S&P/Case-Shiller.