Dólar abre em queda de 0,51%, negociado a R$ 2,128

O dólar à vista abriu em queda de 0,51% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), negociado a R$ 2,128. O mercado de câmbio deve apresentar hoje desempenho semelhante ao de ontem, quando recuou 0,8%, motivado pela melhora do cenário externo e também pelo fluxo mais forte de recursos ao País. O preço internacional do petróleo, no entanto, é alvo de monitoração constante, por causa da elevação forte dos últimos dias. A Agência Internacional de Energia (AIE) informou hoje que o consumo mundial de petróleo desde 2004 tem sido maior do que o previsto e alertou que a apertada relação entre a oferta e a demanda e problemas na produção de alguns países deverão manter os preços da commodity sob pressão, pelo menos no curto prazo. Além disso, destacou que o consumo, hoje, só não é maior por causa justamente dos preços elevados. A projeção da AIE para este ano é de um aumento de consumo de petróleo de 1,8%. Como amanhã é o último dia útil da semana, por conta do feriado da Páscoa, o fluxo de câmbio deve continuar intenso hoje. Há possibilidade de uma correção nos preços por conta da ausência de pregão na sexta, com os investidores se resguardando de um final de semana prolongado. Aqui cabe o registro das declarações do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que a valorização do real ante a moeda norte-americana já chegou ao fundo do poço. Segundo ele, os sinais indicam movimento de revalorização do dólar, ajudado pelo crescimento das importações e menos venda de dólar futuro. O Banco Central não fará leilão de swap cambial novamente, pelo 26º dia útil, mas poderá voltar a atuar no mercado à vista para enxugar um pouco a liquidez e compor reservas, como vem fazendo desde o início do mês, depois de uma breve interrupção.

Agencia Estado,

12 Abril 2006 | 09h28

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.