1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Europa sobe no fechamento de olho em novos estímulos

FRANCINE DE LORENZO, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES - Estadão Conteúdo

25 Agosto 2014 | 13h 42

As bolsas da Europa iniciaram a semana com ganhos, impulsionadas pela expectativa em torno de possíveis medidas adicionais de estímulo à economia da zona do euro, enquanto os investidores aguardam a reunião de terça-feira, 26, entre os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Ucrânia, Petro Poroshenko, para discutir a crise no Leste Europeu.

Na sexta-feira, 22, após o fechamento dos mercados, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, discursou no simpósio anual de política econômica em Jackson Hole (EUA) e sinalizou que a autoridade monetária está pronta para lançar ações de incentivo à economia da zona do euro, se necessário.

Os indicadores econômicos mostram que a Europa continua fragilizada, mesmo após as medidas recentemente adotadas pelo BCE para estimular a região. Hoje pela manhã, o instituto Ifo informou que índice de sentimento das empresas da Alemanha caiu para 106,3 em agosto, de 108,0 em julho, ficando abaixo da previsão de analistas, que apontava recuo a 107,0.

Novas medidas de estímulo à zona do euro podem significar mais liquidez no mercado, impulsionando os negócios nas bolsas da região. Em Frankfurt, o índice DAX subiu 1,83%, para 9.510,14 pontos, fechando na máxima do dia. As ações do setor financeiro foram destaque desta sessão, com os papéis do Deutsche Bank avançando 2,23% e os do Commerzbank registrando alta de 1,49%. Grandes empresas como Siemens (+2,62%), Basf (+2,49%) e Bayer (+2,39%) também tiveram valorização significativa.

Outro índice que encerrou o pregão na máxima do dia foi o CAC-40, da Bolsa de Paris, aos 4.342,11 pontos, com alta de 2,10%. O alerta na França veio com a renúncia do corpo de ministros, após os chefes das pastas de Economia, Arnaud Montebourg, e da Educação, Benoît Hamon, criticarem abertamente o presidente François Hollande. Os ministros afirmaram que o governo deveria focar menos em redução do déficit e mais em fortalecimento da demanda com o corte de impostos. Hollande pediu a formação de um novo governo ao premiê Manuel Valls, que deve ser mantido no cargo.

Na Itália e em Portugal, as bolsas também fecharam na máxima do dia. O FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, subiu 2,30%, para 20.375,39 pontos, e o PSI-20, da Bolsa de Lisboa, ganhou 1,08%, aos 5.755,16 pontos. Na Bolsa de Madri, o Ibex-35 teve elevação de 1,81%, para 10.690,10 pontos. A Bolsa de Londres não operou em função de um feriado local.