Assine o Estadão
assine

Excesso de oferta persiste e petróleo opera abaixo de US$ 27 o barril

Dados do Departamento de Energia norte-americano mostraram que o excesso de oferta da commodity está longe de perder força

0

Dow Jones Newswires

11 Fevereiro 2016 | 09h51
Atualizado 11 Fevereiro 2016 | 17h53

LONDRES - Os contratos futuros de petróleo registram forte perda nesta quinta-feira, 11, com a referência na New York Mercantile Exchange (Nymex) operando abaixo de US$ 27 por barril, após os últimos dados do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano mostrarem que o excesso de oferta da commodity está longe de perder força.

O petróleo para março negociado na Nymex terminou o dia em baixa de 4,52%, a US$ 26,21 por barril, enquanto o Brent para abril recuou 2,53%, a US$ 30,06 por barril, na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres.

Em pesquisa divulgada na quarta-feira, o DoE estimou que o volume estocado de petróleo bruto nos EUA caiu 754 mil barris na semana passada, mas apontou que os estoques totais subiram em 11 das últimas 14 semanas, com avanços inesperados nos volumes de gasolina e destilados. Além disso, os estoques no centro de distribuição de Cushing (Oklahoma), ponto de entrega física do petróleo da Nymex, avançaram para 64,7 milhões de barris, um novo patamar recorde.

"A visão do mercado foi (...) de que a queda nos estoques de petróleo bruto dos EUA seria temporária e isso manteve a pressão de baixa no petróleo", afirmou o banco ANZ em relatório.

O sentimento negativo também é alimentado pelos últimos relatórios mensais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e da Agência Internacional de Energia (AIE), divulgados nesta semana. Tanto a AIE quanto a Opep preveem que a situação de oferta excessiva vai persistir por meses, prejudicando as cotações do petróleo.

Ontem, Opep cortou sua projeção para a demanda global por petróleo, citando a queda do consumo em países como Brasil e Rússia, apesar dos preços baixos. O documento da Opep também mostrou que o grupo continua produzindo com força total, como parte da estratégia de defender sua participação de mercado. Em janeiro, a produção da Opep cresceu para 32,3 milhões de barris por dia, de 32,2 milhões de barris diários no mês anterior.

Hoje, uma autoridade iraniana informou que a National Iranian Oil, petrolífera estatal do Irã, cortou os preços do petróleo leve vendido para a Europa entre US$ 0,10 e US$ 0,20 por barril, numa tentativa de atrair novos compradores e acompanhando recente iniciativa similar da Arábia Saudita, líder da Opep.

"A briga por participação de mercado continua", comentou Michael Poulsen, analista da Global Risk Management.

Nas últimas semanas, o Irã vem elevando sua produção de petróleo gradualmente, como parte de um acordo histórico que restringe o programa nuclear iraniano e que recentemente levou à suspensão da maioria das sanções internacionais contra Teerã.

Comentários