Juro futuro cai com inflação abaixo do esperado

O mercado de juros começou a manhã indicando baixas expressivas nas taxas dos contratos de DI futuro (depósito interfinanceiro) de prazos mais longos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Esta abertura positiva deve-se a quatro fatores básicos, conforme listaram operadores ouvidos agora pela manhã: o cenário externo, bem comportado neste começo do dia (os juros dos títulos do Tesouro americano estão em queda e o preço do petróleo, estável); o dólar em baixa, mantendo sua tendência e também favorecido pelo comportamento dos mercados internacionais; ausência de indicadores importantes na agenda; o IPC-Fipe de março, abaixo das expectativas do mercado. Profissionais do mercado comentam que os juros já devolvem a alta de ontem, motivada sobretudo pelo leilão de títulos prefixados do Tesouro Nacional. No pregão da BM&F, às 10 horas, a taxa projetada pelo DI de janeiro de 2008, o contrato mais líquido, estava em 14,48%, ante fechamento ontem a 14,58%. O juro do DI de janeiro de 2007 estava em 14,84%, ante fechamento ontem a 14,87%. Divulgado logo cedo, a inflação de março medida pelo IPC-Fipe na cidade de São Paulo ficou em 0,14%, desacelerando ante a terceira prévia do mês (0,24%). O resultado ficou abaixo do piso estimado pelos analistas, cujas previsões variavam de 0,15% a 0,30%, com mediana em 0,21%. A crise política continua sendo acompanhada, mas de longe. Até o momento, não afeta os negócios, que seguem pautados pelos bons fundamentos econômicos, quando o cenário externo permite.

Agencia Estado,

05 Abril 2006 | 10h02

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.