1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Juros iniciam negócios em linha com Treasuries

ÁLVARO CAMPOS - Estadão Conteúdo

26 Agosto 2014 | 09h 48

As taxas futuras iniciaram a sessão com leve tendência de queda, acompanhando o dólar, mas logo na sequência voltaram para perto dos ajustes, em linha com o comportamento dos juros dos Treasuries. A agenda carregada nos EUA e dados sobre as operações de crédito no Brasil devem ser acompanhados de perto pelos participantes.

Por volta das 9h35, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2015 marcava 10,80%, ante 10,81% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2016 apontava 11,26%, de 11,25%. O DI para janeiro de 2017 indicava 11,40%, de 11,37%. E o DI para janeiro de 2021 mostrava 11,49%, de 11,47%. Em Nova York, o juro da T-note de 10 anos estava em 2,387%, de 2,386% no fim da tarde de segunda-feira, 25.

Nos Estados Unidos, dados de encomendas de bens duráveis em julho divulgados hoje mostraram um salto de 22,6%, bem acima da projeção de +7,5%. Já o índice de confiança do consumidor em agosto, calculado pelo Conference Board, está previsto para 11 horas, mesmo horário em que será anunciado o índice de atividade regional em agosto do Fed de Richmond. Antes, às 10 horas, os investidores conhecerão o indicador de preços de moradias de 20 cidades americanas calculado pela S&P/Case-Shiller.

Por aqui, a FGV informou nesta manhã que o Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) ficou em 0,19% em agosto, mostrando desaceleração ante a alta de 0,80% registrada em julho. A taxa ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo AE Projeções (que iam de 0,15% a 0,38%) e abaixo da mediana, de 0,25%. Logo mais, às 10h30, o Banco Central informa a nota de política monetária e operações de crédito em julho.

Além disso, a expectativa pela pesquisa Ibope, prevista para às 18 horas, e pelo primeiro debate entre os candidatos à Presidência na tevê Bandeirantes, hoje à noite, deve fortalecer as apostas no crescimento das intenções de votos para os candidatos de oposição ao longo do dia nos mercados brasileiros. Será o primeiro levantamento do Ibope tendo Marina Silva como a candidata do PSB à Presidência da República e, conforme palavras do coordenador financeiro de campanha do partido, deputado Márcio França, "o resultado virá avassalador", mostrando que Marina é uma das favoritas na corrida presidencial.