Mercado está mais pessimista sobre ritmo do Ibovespa

Entre 27 participantes, 59,26% afirmaram que a expectativa é de alta; 11,11% disseram que a percepção é de estabilidade; e 29,63%, de queda

O Estado de S.Paulo

05 Maio 2018 | 04h00

O mercado financeiro está mais pessimista sobre o desempenho do Ibovespa na próxima semana, mostra o Termômetro Broadcast Bolsa. Entre 27 participantes, 59,26% afirmaram que a expectativa é de alta; 11,11% disseram que a percepção é de estabilidade; e 29,63%, de queda. 

+ Em alta, safra de multimercados fecha para captações e cria novos fundos

A pesquisa tem por objetivo captar o sentimento de operadores, analistas e gestores para o comportamento do principal índice de ações do mercado brasileiro na semana seguinte. No levantamento anterior, a fatia dos que viam ganho para a Bolsa nesta semana era de 75,00%; dos que viam estabilidade, 14,29%; e dos que esperavam perda era de 10,71%. Entre os dias 30 de abril e 4 de maio, o Ibovespa teve queda acumulada de 3,85%.

+ Ranking aponta os maiores capitalistas de risco dos EUA

Na agenda dos próximos dias, internamente, o destaque será a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril, que vai contribuir para o ajuste dos prognósticos sobre a Selic. “Com núcleos ainda bem comportados, estimamos variação de 0,27% para o IPCA de abril”, afirmam os economistas do Bradesco, em relatório. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publica ainda o resultado das vendas do varejo de março, que serão importantes para balizar as perspectivas para o ritmo de atividade.

No exterior, saem indicadores de inflação nos Estados Unidos em abril e números do comércio internacional da China. Na Inglaterra, haverá, ainda, reunião de política monetária. Além disso, as atenções seguirão também voltadas ao desempenho do câmbio e da situação da Argentina.

No Brasil, a safra de balanços corporativos referentes ao primeiro trimestre prossegue na semana que vem. Está prevista a divulgação de resultados de grandes companhias, como Petrobrás, BRF, Ambev e Gerdau. No setor financeiro, destaque para os números da B3 e do Banco do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.