Divulgação
Divulgação

Neoenergia confirma cancelamento do pedido para abrir capital na Bolsa

Mesmo sem demanda, os acionistas da companhia, Iberdrola, Banco do Brasil e Previ, não chegaram a propor um preço mais baixo para os papéis na tentativa de emplacar a operação

Márcio Rodrigues, Fernanda Guimarães, Aline Bronzati e Cynthia Decloedt, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2017 | 14h52

A Neoenergia confirmou, em comunicado enviado ao mercado, que pediu o cancelamento do pedido de registro de oferta pública de distribuição primária e secundária de ações da companhia (IPO), "tendo em vista as atuais condições de mercado".

No fim da tarde de quinta-feira, 14, a Coluna do Broadcast informou que, sem atrair a demanda dos investidores, em uma semana concorrida para as ofertas de ações no Brasil, a Neoenergia, que precificaria a ação nesta quinta-feira, postergará a operação para o próximo ano.

Mesmo sem demanda, os acionistas da companhia (Iberdrola, Banco do Brasil e Previ) não chegaram a propor um preço mais baixo para os papéis na tentativa de emplacar a operação. Para o IPO, a companhia tentava uma avaliação entre R$ 17 bilhões e R$ 21 bilhões, com a faixa indicativa de preço de R$ 15,02 a R$ 18,52.

+BR Distribuidora abre em alta no primeiro dia de negociação na Bolsa

Os acionistas e os bancos que coordenaram a oferta aguardaram a finalização do IPO da BR Distribuidora, que foi concluído na quarta-feira e que ganhou muita atenção dos investidores, tanto dentro quanto fora do Brasil, para tentarem direcionar os olhares para a Neoenergia. A oferta também concorreu nesta semana com o IPO do Burger King Brasil, que teve alta demanda dos investidores. Houve ainda, na semana, o follow on da Sanepar, que saiu sem desconto em relação ao pregão no dia do fechamento da operação.

Assim, a operação da Neoenergia deve ficar para o primeiro trimestre do ano que vem, quando o mercado espera que a janela para emissão de ações ainda esteja aberto, antes da volatilidade aguardada para o período eleitoral.

+Demanda em IPO do Burguer King Brasil explode e ação deve sair no topo

No comunicado enviado ao mercado, a Neoenergia disse que caso os investidores já tenham efetuado o depósito do pagamento do valor referente aos pedidos de reserva, "tais valores serão devolvidos conforme previsto no Aviso ao Mercado publicado em 8 de novembro de 2017 e republicado em 16 de novembro de 2017".

Banco do Brasil. Logo após o comunicado da Neoenergia, o Banco do Brasil publicou fato relevante informando que, tendo em vista o cancelamento do IPO, "o BB Banco de Investimento  (BB-BI), subsidiária integral do BB, manterá sua posição acionária de 9,35% na Neoenergia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.