1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Ouro fecha no maior nível em 6 meses em NY

PRISCILA ARONE - Agencia Estado

14 Setembro 2012 | 16h 33

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), registraram leve alta e fecharam no maior nível em seis meses. As medidas de relaxamento quantitativo anunciadas quinta-feira (13) pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) estimularam o otimismo em relação à manutenção em alta da demanda pelo metal. O contrato de ouro mais negociado, com entrega para dezembro, subiu US$ 0,60 (0,03%), fechando a US$ 1.772,70 a onça-troy.

"Isso é incomum e construtivo", disse por e-mail George Gero, vice-presidente sênior da RBC Wealth Management. Ele disse esperar a realização de lucros após o grande rally" do dia anterior, quando o ouro subiu 2,21% e fechou a US$ 1.772,10 a onça-troy. Na quinta-feira, o banco central norte-americano disse que vai manter suas medidas de relaxamento quantitativo e ordenar uma nova rodada de compra de bônus, lastreados em hipotecas, que vai continuar até que o mercado de trabalho melhore.

Políticas monetárias desse tipo representam um duplo impulso para o ouro. Em primeiro lugar, eleva a liquidez, que por sua vez pode enfraquecer o dólar, tornando o metal - que é cotado na moeda norte-americana - menos caro para compradores que usam outras moedas.

Em segundo, os esforços do banco central para elevar a quantidade de moeda em circulação no sistema financeiro eleva os temores sobre a inflação, o que pode levar os investidores a transferir seus recursos para ativos físicos, como metais preciosos.

Porém, não é certo que isso vá acontecer após a mais recente medida do Fed. O ouro para entrega física não registrou uma enorme alta na demanda depois que o Fed anunciou medidas de relaxamento quantitativo em novembro de 2010. Muito investidores que buscam elevar suas exposições em ouro já devem ter investido no mercado físico antes do anúncio do Fed, disse Carlos Sanchez, diretor de gestão de ativos do CPM Group. As informações são da Dow Jones.