Petrobras puxa alta da Bolsa em pregão de liquidez fraca

Além do preço do petróleo, a empresa ainda foi acariciada com notícia de perfuração e exploração de poço

Claudia Violante, da Agência Estado,

26 Maio 2008 | 18h44

Os feriados em Nova York (Memorial Day) e Reino Unido (bancário apenas) esvaziou os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que teve um pregão fraco e com volume financeiro muito estreito. O giro de negócios foi um terço do que é normalmente transacionado numa sessão normal. Isso, entretanto, não impediu que os poucos investidores atuantes fossem às compras e garantissem elevação ao Ibovespa.   A bolsa doméstica fechou em alta de 0,25%, aos 71.628,7 pontos. Oscilou entre a mínima de 71.423 pontos (-0,04%) e a máxima de 71.988 pontos (+0,75%). Tal desempenho elevou os ganhos acumulados em maio para 5,54% e os do ano, a 12,12%. O giro totalizou parcos R$ 2,608 bilhões, enquanto a média do mês, de acordo com a Bovespa, é de R$ 7,113 bilhões.   Com a agenda de indicadores vazia, o petróleo garantiu o fechamento positivo do mercado. O preço do barril do petróleo negociado na bolsa eletrônica de Nova York (Nymex) subiu 0,61%, para US$ 132,37, influenciado por um ataque a um oleoduto na Nigéria e também por declarações do ministro de Petróleo dos Emirados Árabes Unidos, Mohammed Al-Hamli.   Um grupo separatista no Delta do Níger atacou um dos oleodutos da Royal Dutch Shell, o que interrompeu parte da produção no país. Além disso, Mohammed Al-Hamli reiterou que a Opep não deve aumentar a produção, já que o mercado estaria "bem abastecido".   Com isso, as ações da Petrobras, mais uma vez, carregaram o Ibovespa para cima. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) subiram 2% - com o maior giro individual, de R$ 445,323 milhões - e as ordinárias (ON, com direito a voto) 2,92% (giro de R$ 88,619 milhões).   Além do preço do petróleo, a Petrobras ainda foi acariciada pela notícia divulgada pela Eni, empresa italiana com quem atua num bloco no Golfo do México, de que o grupo teria sido bem-sucedido na perfuração e exploração do poço. A Petrobras tem 25% de participação no consórcio.   Mais destaques   O setor siderúrgico também foi destaque hoje no pregão, assim como vem ocorrendo nas últimas semanas, devido à demanda aquecida. Além disso, hoje a Petrobras informou que pretende encomendar aço no mercado doméstico para atender à demanda ainda para a primeira fase de encomendas de 26 navios petroleiros, lançada em 2005.   Vale, outra blue chip do mercado doméstico, operou na contramão: as ações ON caíram 1,10% e as PNA, 0,62%. A empresa confirmou hoje que tem planos de construir novas pelotizadoras na China, em parceria com siderúrgicas locais, conforme notícia veiculada no sábado pelo jornal South China Morning Post.

Mais conteúdo sobre:
Petrobras Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.