Petróleo recua com possível aumento da oferta da Líbia

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda nesta segunda-feira, 07, pressionados pela expectativa de aumento da oferta da Líbia. Além disso, os rebeldes no Iraque seguem distantes da principal região produtora do país.

LETICIA PAKULSKI, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agência Estado

07 Julho 2014 | 16h42

O petróleo para agosto fechou em queda de US$ 0,53 (0,51%), a US$ 103,53 por barril na New York Mercantile Exchange (Nymex), patamar mais baixo desde 6 de junho. Na IntercontinentalExchange (ICE), em Londres, o petróleo para agosto recuou US$ 0,40 (0,36%), para US$ 110,24 por barril.

O governo líbio suspendeu a interrupção do carregamento de petróleo em dois portos, Es Sider e Ras Lanuf, disse Mohammad el-Harari, porta-voz da estatal National Oil. Rebeldes que ocupavam os dois portos desde o fim de julho de 2013 chegaram a um acordo com o governo. Es Sider e Ras Lanuf podem embarcar 560 mil barris por dia juntos, quase metade da capacidade de exportação do país, de 1,3 milhão de barris por dia.

Embora acordos para aumentar a produção de petróleo da Líbia tenham fracassado em um passado recente, "a possibilidade de uma retomada da produção é maior neste momento", disseram analistas do BNP Paribas em nota enviada a clientes.

Além disso, o conflito iraquiano segue concentrado na parte norte do país e "não se espalhou para o sul do Iraque, onde está a maior parte da produção de petróleo do país", salientou o analista Tariq Zahir, da Tyche Capital Advisors.

Mais conteúdo sobre:
Petróleo @estadaoconteudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.