1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Petróleo tem forte alta com previsão de recuperação nos preços

- Atualizado: 22 Fevereiro 2016 | 19h 04

Relatório da Agência Internacional de Energia prevê que demanda pode se reequilibrar até 2017, elevando preço da commodity

A oferta e a demanda do petróleo vão se reequilibrar de forma gradual até 2017, segundo a AIE

A oferta e a demanda do petróleo vão se reequilibrar de forma gradual até 2017, segundo a AIE

Os preços do petróleo registraram forte alta nesta sessão, diante da expectativa de queda na produção da commodity, que ajudaria a reduzir o descompasso entre oferta e demanda.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo para março subiu US$ 1,84 (6,20%) em seu último dia de negociação, para US$ 31,48 por barril. O contrato mais ativo, para abril, avançou 5,16% (US$ 1,64), para US$ 33,39 por barril.

Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para abril fechou em alta de 5,09% (US$ 1,68%0, a US$ 34,69 por barril.

A Agência Internacional de Energia (AIE) informou hoje que espera que a produção de óleo de xisto nos EUA caia 600 mil barris/dia em 2016 e outros 200 mil barris/dia em 2017. A agência ainda prevê que o equilíbrio entre oferta e demanda se dará em 2017.

Na sexta-feira a Baker Hughes informou que o número de plataformas e poços em operação nos EUA baixou para 413, 26 a menos que na semana anterior.

O mercado ainda acompanha as negociações entre grandes exportadores de petróleo sobre um possível congelamento da produção. Hoje, o secretário geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), disse que o congelamento da produção poderá ser o "primeiro passo" e outras medidas poderão vir no futuro. Entretanto, ele observou que um aumento significativo nos preços poderia permitir aos EUA elevar a produção, mantendo o mercado com oferta excessiva. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX