1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Plano para Malaysia Airlines deve custar até US$ 1,9 bi

Estadão Conteúdo

29 Agosto 2014 | 11h 46

Empresa vai cortar funcionários e parar de operar rotas não lucrativas, a fim se de recuperar dos prejuízos sofridos com a perda de dois aviões

O governo da Malásia planeja gastar até 6 bilhões de ringgit (US$ 1,9 bilhão) para reformular a Malaysia Airlines. A empresa aérea vai cortar a quantidade de funcionários em 30% e parar de operar em rotas não lucrativas, com o objetivo de se recuperar dos prejuízos sofridos após a perda de dois aviões neste ano.

A Malaysian Airline System Bhd. vai se tornar uma empresa fechada até o fim deste ano a um custo de 1,4 bilhão de ringgit, informou em um comunicado a empresa estatal de investimentos Khazanah Nasional Bhd. A Khazanah já controla cerca de 70% da Malaysia Airlines e se ofereceu para comprar o restante da empresa de outros investidores.

A companhia aérea sofreu um duro golpe em sua reputação depois de o voo MH370 desaparecer em 8 de março deste ano no trajeto entre Kuala Lumpur e Pequim com 239 pessoas a bordo. Em 17 de julho foi a vez de o voo MH17 ser derrubado na Ucrânia provavelmente por um míssil, matando 298 pessoas.

A reestruturação vai custar 1,4 bilhão de ringgit e vai incluir a demissão de 6 mil pessoas, de uma força de trabalho total de 20 mil. Fonte: Dow Jones Newswires.