Wilton Junior/Estadão - 28/10/2010
Wilton Junior/Estadão - 28/10/2010

Primeiro leilão de barris petróleo para União na Bolsa pode arrecadar R$ 500 milhões

Recursos serão destinados para fundo social de investimentos em educação e saúde

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

13 Abril 2018 | 18h03

RIO- O primeiro leilão de petróleo que a Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA) realizará para a União, marcado para o dia 16 de maio na B3, deverá arrecadar entre R$ 400 milhões e R$ 500 milhões, informou ao Estadão/Broadcast o presidente da estatal, Ibsen Flores, lembrando que os recursos são destinados a um Fundo Social para investimentos em educação e saúde.

+ Petrobrás assina financiamento de até US$ 400 milhões no Reino Unido

Somente este ano, a previsão é de arrecadar R$ 300 milhões, já que não se poderá contar com a produção total de Tartaruga Verde que será leiloada (480 mil barris). Parte da produção ficará para 2019, informou. Os compradores terão que pagar pelo carregamento adquirido 30 dias após retirar o petróleo das plataformas, "o que será feito ao longo de um ano, entre meados de 2018 e meados de 2019", segundo Flores.

"Mas no período de um ano, a venda deve ficar entre R$ 400 a R$ 500 milhões", disse. Segundo o executivo, todas as empresas que têm logística adequada para carregar o petróleo poderão participar do leilão, sejam petroleiras ou empresas de trading. Como o leilão exige garantias, será possível também a formação de consórcios integrados por bancos e fundos de investimentos. "As empresas nesses leilões têm exigência de garantias, então poderão se associar a bancos, ou apresentar cartas de garantia", explicou.

+ Governo fará leilão extra de blocos do pré-sal em agosto

Ele não vê risco do leilão ser adiado e espera cumprir à risca o cronograma traçado no pré-edital publicado hoje, que ficará em consulta pública até o próximo dia 24. A intenção é publicar o edital definitivo no dia 4 de maio. Serão leiloados quatro lotes de petróleo, no total de 2,8 milhões de barris, provenientes dos campos de Mero e Sapinhoá, sob o regime de Partilha, e Lula e Tartaruga Verde sob o regime de concessão.

+ Petrobrás tem novos indicados a conselhos de administração e fiscal pelos minoritários

Ele disse que a alta do preço do petróleo este ano não deve influenciar a venda e será utilizado o preço de referência da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em fevereiro, o preço de referência mais elevado era do campo de Lula (R$ 1.237,8877 por metro cúbico), seguido do campo de Mero (R$ 1.224,1253/m3), Sapinhoá (R$ 1.220,8479/m3) e Tartaruga Verde (R$ 1.161,7895).

+ ANP publica edital da 4ª rodada de partilha de produção no pré-sal 

"Este será o primeiro leilão de petróleo do Brasil dentro da legislação que exige transparência e concorrência para se obter o melhor resultado para a União", afirmou Flores, prevendo que será possível conseguir ágio sobre o preço de referência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.