1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Ucrânia pesa sobre bolsas asiáticas, mas China avança

SERGIO CALDAS - Estadão Conteúdo

29 Agosto 2014 | 08h 44

Preocupações com o aumento das tensões entre Ucrânia e Rússia pesaram sobre algumas bolsas asiáticas e da região do Pacífico nesta sexta-feira, mas os mercados da China continental avançaram diante da expectativa de que o governo faça reformas em estatais do setor de defesa do país.

O principal índice chinês, o Xangai Composto, fechou em alta de 0,97%, a 2.217,20 pontos, reduzindo a perda na semana a 1,1%. O resultado semanal, porém, interrompe uma sequência de seis semanas de ganhos, período em que foi registrado avanço de 9,5%. Ao longo de agosto, por outro lado, o Xangai garantiu alta de 0,7%, no quarto mês seguido de valorização.

O Shenzhen Composto, que acompanha empresas chinesas menores, avançou 1,13%, a 1.212,26 pontos.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou praticamente estável, a 24.742,06 pontos, após oscilar ao longo da sessão na expectativa para uma grande demonstração pró-democracia prevista para domingo.

Entre bolsas asiáticas menores, o índice Taiex, de Taiwan, recuou 0,4%, a 9.436,27 pontos, realizando lucros após ganhos recentes; enquanto o sul-coreano Kospi perdeu 0,35%, a 2.068,54 pontos, após a Samsung desvalorizar 0,6% diante do aumento da concorrência; o filipino PSEI caiu 0,7%, a 7.050,89 pontos; e o índice Straits Times, de Cingapura, teve baixa marginal de 0,09%, a 3.327,09.

Como ocorreu ontem na Europa e EUA, os mercados acionários da Ásia ficaram pressionados com o noticiário de que a Rússia teria invadido o sudeste da Ucrânia, enviando soldados para lutar ao lado de separatistas pró-Moscou. A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) está reunida hoje com autoridades ucranianas para discutir o agravamento da crise.

Na Oceania, o dia também foi de cautela na Bolsa de Sydney diante da fraqueza nos preços de minério de ferro e da piora da situação no Leste Europeu. O índice australiano S&P/ASX 200 terminou o pregão inalterado, a 5.625,90 pontos, após marcar a mínima intraday de 5.614,30 pontos. No setor minerador, a BHP Billiton recuou 0,6%, após os preços do minério de ferro à vista atingirem o menor patamar em dois anos, a US$ 87,30 por tonelada. Com informações da Dow Jones Newswires.