12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




Você está em Economia > Negócios
Início do conteúdo

Estrangeiras cogitam participar do leilão de 4G

17 de dezembro de 2013 | 9h 09
EDUARDO RODRIGUES E ANNE WARTH - Agencia Estado

BRASÍLIA - O barateamento dos custos das ligações entre diferentes operadoras de celular pode trazer concorrentes estrangeiros para o leilão de 4G de 2014, avalia o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende.

Segundo ele, empresas que ainda não atuam no Brasil cogitam entrar na disputa marcada para o primeiro semestre do próximo ano, ameaçando as posições de TIM, Claro, Oi e Vivo, que podem ficar fora da faixa de 700 megahertz (MHz). Se alguma dessas empresas perder um dos quatro lotes que serão licitados, a saída será comprar capacidade da vencedora para conseguir operar nessa frequência.

Fontes do governo admitem, nos bastidores, que a norte americana AT&T e a britânica Vodafone manifestaram interesse na disputa prevista para o primeiro semestre.

A expectativa de chegada de uma nova empresa no mercado brasileiro de telefonia e banda larga móvel era comentada por especialistas do setor desde o leilão anterior de 4G, realizado em junho de 2012, para a faixa de 2,5 gigahertz (GHz). Mas os lotes nacionais da primeira disputa foram todos arrematados pelas quatro grandes teles que já atuam no País.

Para Rezende, o principal impedimento para a entrada de uma nova companhia em um mercado maduro como o brasileiro era a alta taxa de interconexão paga pelas empresas em ligações para aparelhos de operadoras concorrentes. Em 2011, essa taxa custava R$ 0,48 por minuto, mas, caiu para R$ 0,16 este ano e deve chegar a R$ 0,10 em 2016. A partir daí, a tarifa será definida por modelo de custos.

?Indicadores do ano passado mostravam que, a cada 10 minutos de voz, 8 eram falados dentro da própria rede. É o efeito clube, muito alto para concorrentes internacionais. O ideal é que o efeito clube baixe para algo entre 40% e 50% das chamadas, o que deve ocorrer com a queda das tarifas de interconexão?, afirmou Rezende. ?Essa perspectiva da redução da tarifa de interconexão e o leilão da faixa de 700 MHz podem atrair investidores internacionais.?

A data final para o leilão será definida em janeiro, quando deve vir a público o edital. O governo aposta que a disputa deve render R$ 6 bilhões, segundo antecipou o jornal O Estado de S. Paulo.

Venda de capacidade

Segundo Rezende, caso alguma nova companhia arremate um dos quatro lotes, a companhia brasileira que ficar de fora teria que comprar capacidade de rede de um dos vencedores. ?Serão quatro lotes na faixa de 700 MHz, mas pode haver, como no Chile, a chamada exploração industrial, com novos equipamentos que realocam eficiência no uso do espectro. Você pode ver que tem uma área com ociosidade e outra com congestionamento. Daria para gerenciar espaço para outra operadora?, afirmou.

O uso compartilhado dessa infraestrutura é uma alternativa para as empresas vencedoras do leilão, que podem se dividir na instalação da rede fora das maiores cidades do País. O edital ainda está sendo finalizado pela agência reguladora, mas deve prever essa opção para o atendimento de localidades de médio e pequeno porte.

Em ambas as parte do espectro eletromagnético é possível transmitir dados com velocidades mais de dez vezes superiores às obtidas pelos smartphones que operam no 3G.

A frequência de 700 MHz é indispensável para as teles porque permite utilizar a tecnologia com maior alcance de cobertura, necessitando a instalação de menos antenas que as demandadas pela faixa de 2,5 GHz.

Para Rezende, investir na faixa de 700 MHz é uma necessidade para as empresas. A perspectiva, segundo ele, é que a participação dos dados na receita das companhias seja cada vez mais relevante. ?A faixa de 700 MHz é um ativo importante, porque o valor investido na faixa agrega mais valor ao próprio negócio?, afirmou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo