1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Airbus não irá se apressar em reformulação do A330

REUTERS

13 Junho 2014 | 08h 05

A Airbus traçou uma reformulação potencial de seu jato A330, mas prometeu não deixar que os investimentos estimados em 2 bilhões de dólares a desviem de melhorar os lucros no maior grupo aeroespacial da Europa.

Fabrice Bregier, presidente-executivo da fabricante de aviões, principal unidade do grupo Airbus, disse que a empresa irá decidir se vai ou não lançar a nova versão de seu mais lucrativo jato de fuselagem larga antes do fim do ano.

"Estamos estudando isso. Temos muitos clientes nos dizendo 'esse avião é excelente, por favor tentem também reduzir a queima de combustível com novos motores'," disse Bregier a repórteres.

"Então estamos olhando isso, não estamos apressados. Vamos tomar a decisão neste ano. Não está limitado a novos motores, é mais complicado que isso."

A Airbus enfrenta uma queda nos pedidos do A330, de 20 anos de idade, com a atenção mudando para o novo Boeing 787, mas parece estar progressivamente mais confiante sobre estar apta a preservar sua "galinha dos ovos de ouro" com melhoras na eficiência de combustível.

A revisão no A330 é abordada ao mesmo tempo em que a Airbus olha para além da entrada em serviço de seu novo A350, com previsão para dezembro, para o aumento na produção necessária para atingir uma meta de longo prazo de tornar o jato lucrativo até 2019.

Esses planos têm pouca margem para erro e podem elevar os custos.

Bregier disse que o A350 iria se provar financeiramente e minimizou o impacto de um grande cancelamento de pedidos nesta semana.

"No fim do dia, estamos olhando para a lucratividade", disse ele.

Tim Hepher e Cyril Altmeyer