Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Audi confirma que carros da marca estão envolvidos em escândalo de emissões

A Volkswagen, que controla a maior parte da Audi, revelou que um software para manipular testes de emissões foi instalado em veículos movidos a diesel

Dow Jones Newswires, O Estado de S. Paulo

28 Setembro 2015 | 12h13

FRANKFURT - Cerca de 2,1 milhões de carros da Audi possuem o software que está no centro do escândalo de emissões de poluentes da Volkswagen, disse um porta-voz nesta segunda-feira, 28. A Volkswagen, que controla a maior parte da Audi, revelou na semana passada que um software para manipular testes de emissões foi instalado em cerca de 11 milhões de veículos movidos a diesel. Os modelos da Audi fazem parte desse total e devem passar por um recall para reparos, segundo o porta-voz Jürgen De Graeve.

A grande maioria dos modelos da Audi afetados, ou pouco mais de 2 milhões de carros, foi vendida na Europa, enquanto 13 mil foram vendidos nos EUA e no Canadá, disse o funcionário. Nenhum dos veículos afetados foi comercializado na China ou no Japão, acrescentou ele. Os modelos afetados incluem o A1, A3, A4, A5, A6, TT, Q3 e o Q5.

A marca espanhola Seat e a checa Skoda confirmaram que alguns de seus modelos também foram afetados, mas não podiam fornecer ainda informações sobre o número de carros ou os modelos.

O governo alemão estabeleceu como prazo 7 de outubro para a Volkswagen apresentar um plano para consertar os problemas, enquanto os reguladores internacionais trabalham em testes de emissão mais rígidos para veículos a diesel.

Além disso, promotores do Estado alemão da Baixa Saxônia disseram que abriram uma investigação criminal contra o ex-executivo-chefe da Volkswagen, Martin Winterkorn, que deixou o posto na quarta-feira, e contra outros executivos não nomeados sob suspeita de fraude diante do escândalo de emissões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.