1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Banco suíço EFG negocia compra do BSI do BTG Pactual

- Atualizado: 19 Fevereiro 2016 | 08h 34

O negócio deixaria o BTG Pactual com uma fatia de 20% a 30% na entidade combinada; BSI pode ser avaliado em US$ 1,6 bilhão

Transação que pode ser anunciada na próxima semana

Transação que pode ser anunciada na próxima semana

ZURIQUE - O banco suíço EFG International informou nesta sexta-feira, 19, que está em negociações exclusivas com o grupo BTG Pactual para comprar o banco privado suíço BSI.

"Em conformidade com a regulação suíça, a EFG confirma que está em discussões exclusivas com o BTG Pactual sobre uma potencial aquisição do BSI", afirmou a EFG. "Uma decisão ainda não foi tomada".

Duas fontes com conhecimento do assunto disseram à Reuters que o BTG Pactual está em negociações para combinar sua unidade suíça BSI com a EFG International, numa transação que pode ser anunciada na próxima semana.

O negócio deixaria o BTG Pactual com uma fatia de 20% a 30% na entidade combinada, segundo uma das fontes. A decisão se o EFG vai incorporar o BSI ou o contrário será feita com base na estrutura fiscal mais eficiente.    

O BTG Pactual pode receber parte do pagamento em dinheiro. O EFG e o BTG Pactual concordaram em não ajustar o valor do negócio se o BSI tiver que pagar uma multa relacionada a um escândalo em um conturbado fundo do governo malaio, o 1Malaysia Desenvolvimento Bhd.    

O negócio ajudaria BTG Pactual a seguir adiante com as vendas de ativos, levantando dinheiro para restaurar a confiança dos investidores após a prisão do fundador André Esteves em novembro.

Esteves arquitetou a compra de BSI pelo BTG Pactual no ano passado, dizendo que isso ajudaria o banco de investimentos a crescer além da América Latina.    

Um preço tem ainda deve ser definido, embora a primeira fonte tenha afirmado que o BSI poderia ser avaliado em US$ 1,6 bilhão antes de uma combinação.    

De acordo com a segunda fonte, que foi informada sobre o assunto, a EFG está falando com o regulador financeiro suíço sobre o impacto de uma combinação, uma vez que o BSI é o empregador na região suíça de Ticino.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX