1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Boeing eleva previsão de demanda por aviões na China com aumento de viagens de lazer

REUTERS

04 Setembro 2014 | 08h 39

Segundo a companhia, o país precisa de mais de 6.020 aviões nos próximos 20 anos; aumento de 8% sobre a estimativa anterior

Wang Zhao/AFP
Boeing 747 da companhia aérea Air China

A Boeing disse nesta quinta-feira que espera que a China precise de mais de 6.020 aviões nos próximos 20 anos, um aumento de 8 por cento sobre a estimativa de duas décadas feita no ano passado, conforme o crescimento das viagens de lazer no exterior impulsiona a demanda por aviões de corredor único e de corredor duplo.

A nova estimativa da fabricante de aviões de 6.020 aviões, avaliados em 870 bilhões de dólares, ficou acima dos 5.580 aviões projetados no ano passado e representa quase o triplo da atual frota da China. O país, o segundo maior mercado de aeronaves do mundo, é essencial para a estratégia global de longo prazo da Boeing.

"Novos modelos de negócios como empresas de baixo custo e operadoras regionais estão impulsionando a demanda por mais voos diretos para mais destinos", disse o vice-presidente de marketing da Boeing Commercial Airplanes, Randy Tinseth, falando em uma coletiva de imprensa em Pequim.

A Boeing espera que a China ultrapassará os Estados Unidos como maior mercado único de aviões do mundo no período até 2032.

As companhias aéreas chinesas estão cada vez mais olhando para rotas no exterior à medida que o mercado interno esfria em meio a uma desaceleração da economia e austeridade orçamentária do governo. O impulso no exterior também é alimentado por um número crescente de turistas, que deverão duplicar para 200 milhões até 2020, de acordo com a corretora CLSA.

(Por Fang Yan e Matthew Miller)