Bolsas dos EUA fecham em queda por pior visão sobre crédito

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em forte queda nesta quinta-feira depois de a agência de classificação e risco Moody's reduzir a nota "AAA" da seguradora de títulos FGIC Corp, elevando os temores de que os mercados de crédito possam se desestabilizar mais. O índice Dow Jones --principal indicador da Bolsa de Nova York-- caiu 1,4 por cento, a 12.376 pontos. O Standard & Poor's 500 perdeu 1,34 por cento, a 1.348 pontos. O Nasdaq recuou 1,74 por cento, a 2.332 pontos. As ações já operavam em baixa depois de o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse esperar que os bancos de investimento assumam mais baixas contábeis em decorrência dos financiamentos imobiliários de alto risco. O índice financeiro da S&P teve baixa de 1,93 por cento. Os papéis de tecnologia também derrubaram o mercado, após o Goldman Sachs remover a Intel da sua lista de compras, dizendo que a fraqueza econômica pode afetar a demanda pelos produtos da fabricante de chips. A fabricante de chips gráficos Nvidia ampliou os temores sobre o setor depois de informar margens mais fracas pela primeira vez em mais de 3 anos. A Moody's reduziu em seis pontos o rating da FGIC. Preocupações com os downgrades da seguradora de títulos foram um importante fator para a queda das ações nos últimos meses, mas o recuo desta quinta-feira veio após três dias de ganhos. "Com o que está acontecendo no mercado de crédito, qualquer rali no mercado de ações é apenas uma questão temporária", disse Peter Boockvar, estrategista do Miller Tabak & Co em Nova York. (Por Jennifer Coogan)

REUTERS

14 Fevereiro 2008 | 19h34

Mais conteúdo sobre:
WALLST FECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.