Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Cesp coloca em operação primeiros geradores eólicos de São Paulo

Com investimento de R$ 8,3 milhões, as unidades têm capacidade de gerar por ano até 620 megawatts-hora

Luciana Collet, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2017 | 19h35

Após dois meses em testes, os primeiros aerogeradores do Estado de São Paulo entraram oficialmente em operação, na área da usina Porto Primavera. Com investimento de R$ 8,3 milhões, as unidades têm capacidade de gerar por ano até 620 megawatts-hora (Mwh) e fazem parte de um projeto de pesquisa da Companhia Energética de São Paulo (Cesp) que visa estudar a complementaridade energética das fontes solar, eólica e hidráulica.

O projeto possui 54 meses de duração e sua conclusão está prevista para agosto de 2018 com um custo total de R$ 31 milhões, contabilizando o projeto de pesquisa, a compra dos equipamentos, a instalação e a manutenção. Além das usinas solares e eólicas, estão em funcionamento uma estação solarimétrica e uma estação anemométrica, que completam o projeto de P&D.

++Eletrobrás deve abrir PDV para 2,4 mil funcionários

"O início da produção de energia elétrica por meio dos ventos é um marco para São Paulo, que comprova seu potencial e viabilidade econômica para adotar o uso da geração de energia eólica em sua matriz energética", afirma o secretário estadual de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles. Segundo ele, o projeto poderá ser replicado no formato de consórcio por empresas e condomínios residenciais.

Potencial. O subsecretário de Energias Renováveis, Antonio Celso de Abreu Junior, destacou que o Estado de São Paulo possui áreas de boa intensidade de ventos, onde a fonte eólica pode ser uma opção de geração de energia elétrica. Alguns dos municípios com maior potencial de geração por essa fonte são Jaú, na região de Bauru, Capão Bonito e Fartura, na região de Itapeva, Itu, na região de Sorocaba, e Campos do Jordão, no Vale do Paraíba.

++Governo de SP negocia com União condição mais favorável para privatizar Cesp

De acordo com levantamento da secretaria de Energia do Estado, São Paulo tem um potencial de aproximadamente 13 mil GWh, com um fator de capacidade médio de 31,3%. Os valores foram calculados a uma altura de 100 metros, considerando restrições pertinentes e velocidades de vento acima de 6,5 metros por segundo, ocupando uma área de 1.134 km².

Se forem consideradas todas as áreas com velocidades acima de 6 metros por segundo, esse potencial de geração subiria para cerca de 72 mil GWh, com fator de capacidade médio de 26,6%.

++Conta de luz de outubro terá bandeira vermelha e taxa extra de R$ 3,50

Mais conteúdo sobre:
Cesp Energia Eólica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.