Assine o Estadão
assine

Economia

AUTOS

China diz a fornecedores automotivos alemães que encontrem parceiros, diz jornal

A China disse a três fornecedores alemães de autopeças que não podem mais administrar suas unidades chinesas independentemente e precisam formar parcerias com negócios locais, segundo o presidente-executivo da fabricante de autopeças ElringKlinger disse ao jornal alemão Stuttgarter Zeitung.

0

REUTERS

25 Agosto 2014 | 08h55

Tal decisão, se fundamentada, se encaixaria com uma posição cada vez mais dura adotada pelo regulador de competição da China, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, perante a indústria automotiva estrangeira.

A comissão começou recentemente a investigar montadoras estrangeiras após reclamações de que elas estariam cobrando preços abusivos de consumidores chineses.

"O Estado chinês disse a diversas fornecedoras (de carros alemães) que não podem mais operar suas subsidiárias chinesas sozinhas, mas sim apenas como parte de uma joint venture no futuro", disse Stefan Wolf segundo o jornal.

Ele disse conhecer três companhias que agora precisam procurar um parceiro na China, sem especificar quais. Ele disse ainda que a ElringKlinger não foi afetada por enquanto.

"Se isso acontecer, seria um ataque contra a propriedade intelectual. Cinquenta por cento da companhia está sendo levada embora -- isso, efetivamente, é expropriação", disse Wolf.

"Acredito que esta é uma tentativa de recuperar o atraso em know-how e inovação", disse ele ao jornal.

(Por Christoph Steitz, Edward Taylor, Andreas Cremer e Samuel Shen)

Mais conteúdo sobre: