1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Demanda doméstica da Gol cai 8% no quarto trimestre e oferta diminui 4%

- Atualizado: 01 Fevereiro 2016 | 10h 29

No mercado internacional, a oferta teve queda de 22% em dezembro e de 13% no quarto trimestre, enquanto a demanda caiu 20% e 13%, respectivamente

Taxa de ocupação ficou em 76% no quartro trimestre

Taxa de ocupação ficou em 76% no quartro trimestre

SÃO PAULO - A Gol registrou queda tanto na demanda quanto na oferta de voos no mercado doméstico no mês de dezembro e no comparativo do quarto trimestre. Conforme o relatório de dados prévios divulgado nesta segunda-feira, 1, a demanda doméstica caiu 6% no mês de dezembro e 8% no trimestre. A taxa de ocupação ficou em 78% e 76%, respectivamente. No acumulado do ano, a demanda cresceu 1%, com a taxa de ocupação em 78%, 0,2 ponto porcentual maior.

Por sua vez, a oferta doméstica caiu 3% em dezembro e 4% na relação do quarto trimestre de 2015 ante o mesmo período de 2014. No acumulado de 2015, ficou estável, o que a companhia considera estar "em linha com a projeção divulgada para 2015, de redução de -1% a estável."

O indicador de tarifa, yield, apresentou aumento de 6,8% sobre o quarto trimestre de 2014 e 11,7% em relação ao terceiro trimestre de 2015. A companhia aérea também informa que o indicador de receita de passageiro por assento-quilômetro oferecido (Prask) líquido no quarto trimestre teve aumento de 2,3% e 7,2%, respectivamente, "reflexo das ações adotadas pela companhia recentemente com foco na recuperação do resultado operacional."

Internacional. No mercado internacional, a oferta teve queda de 22% em dezembro e de 13% no quarto trimestre. No acumulado de 2015, no entanto, cresceu 3%, o que a administração atribui a ajustes de malha. A demanda caiu 20% e 13%, respectivamente, com taxa de ocupação de 71,7% e 70,8% na mesma comparação. No ano de 2015, houve alta na demanda de 4%, fechando a taxa de ocupação em 71,6%, alta de 0,6 p.p..

O combustível de aviação no trimestre variou entre R$ 2,25 e R$ 2,29 por litro, queda de 6% ante 2014. A Gol explica que "o QAV em reais no trimestre foi parcialmente beneficiado pela queda dos preços internacionais (jet fuel) de 44,6%, porém, impactado pela depreciação média do Real em 51,1% no mesmo período, além do deslocamento temporal médio de 45 dias devido os critério da fórmula de precificação do QAV no Brasil."

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX