1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Empresas nos EUA receiam que investigações da China sejam injustas

As companhias estrangeiras estão cada vez mais preocupadas de que estão sendo visadas por reguladores chineses, disse um grupo de lobby de negócios dos Estados Unidos nesta terça-feira, conforme uma agência antitruste da China defende investigações em empresas como a fabricante norte-americana de chips Qualcomm.

A Câmara Americana de Comércio na China é o mais novo grupo de lobby a manifestar suas queixas acerca de uma série de investigações analisando ao menos 30 empresas estrangeiras, conforme a China busca aplicar uma lei antimonopólio de 2008.

Há percepções crescentes de que empresas multinacionais estão sob "aplicação seletiva e subjetiva (da lei)" usando "abordagens legais e extralegais", disse a Câmara em um relatório.

Uma pesquisa com 164 membros mostrou que 49 por cento dos entrevistados sentiam que companhias estrangeiras estão sendo destacadas em recentes campanhas sobre preços e anticorrupção, ante 40 por cento em uma pesquisa no final de 2013 com 365 membros. Vinte e cinco por cento disseram estarem incertos disso, ou que não sabiam, e 26 por cento disseram que não.

O vice-presidente da Câmara, Lester Ross, disse a repórteres que a grande expansão da aplicação da lei é bem-vinda em princípio, mas que reguladores estão usando meios "extralegais" para conduzir as investigações.

"Eles tomaram o que são, em muitos casos, provisões vagas ou não especificadas na lei e passaram a aplicá-las, e buscaram aplicar estes meios através de processos que não respeitam a noção de devido processo legal ou equidade", disse Ross.

(Por Michael Martina, Brenda Goh e Sui-Lee Wee)