1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

George Soros se torna sócio da Ferrari

- Atualizado: 18 Fevereiro 2016 | 09h 21

Bilionário americano passa a ser um dos dez principais acionistas da fabricante de carros esportivos de luxo; ações subiram 10%

As ações da Ferrari subiram mais de 10% ontem na Bolsa de Milão

As ações da Ferrari subiram mais de 10% ontem na Bolsa de Milão

As ações da Ferrari subiram mais de 10% ontem na Bolsa de Milão depois da notícia de que o bilionário americano George Soros se tornou sócio da fabricante de carros esportivos de luxo. O investidor comprou, no quarto trimestre do ano passado, 850 mil ações da Ferrari por US$ 40,8 milhões, de acordo com documento da Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador do mercado de capitais norte-americano.

Com isso, Soros passa a ser um dos dez principais acionistas da empresa italiana, com 0,45% do capital. Em Milão, os papéis da montadora fecharam em alta de 10,38% e, em Nova York, a valorização chegou a 7,8% no pregão de ontem. Os últimos dados divulgados pela Ferrari indicam que 24% da companhia está nas mãos da Exor, holding da família Agnelli, proprietária da Fiat, e 10% pertencem a Piero Ferrari, filho do fundador da fabricante. Os outros 66% estão pulverizados no mercado de capitais.

A presença de Soros, um dos investidores mais respeitados na comunidade financeira, no capital do grupo italiano é considerada uma boa notícia, já que as ações vinham em queda desde a estreia na Bolsa de Nova York, em outubro do ano passado, e na Bolsa de Milão, no último dia 4 de janeiro.

No início deste ano, a Fiat distribuiu sua fatia de 80% na Ferrari para os acionistas, dando fim a 30 anos de controle exclusivo sobre a marca de carros avaliados em cerca de ¤ 250 mil. A separação entre as duas empresas, anunciada há mais de um ano, foi concluída depois que a Fiat Chrysler vendeu uma fatia de 10% na Bolsa de Nova York, em outubro. A empresa chegou à Nyse avaliada em US$ 10 bilhões. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX