1. Usuário
Assine o Estadão
assine


GM demite 15 por escândalo do recall com atraso de 11 anos

Agências Internacionais - Agência Estado

05 Junho 2014 | 15h 09

Executiva da montadora americana classificou o relatório sobre a falha de 'profundamente perturbador'

AP
Mary Barra, CEO da GM, ao lado do vice-presidente Mark Reuss: crítica ao relatório "perturbador"

WARREN, MICHIGAN - A executiva-chefe da General Motors, Mary Barra, demitiu 15 funcionários e repreendeu outros cinco considerados culpados pela demora de 11 anos da empresa para anunciar o recall de carros com defeitos na ignição.
As demissões foram anunciadas depois que a executiva chamou o relatório sobre o escândalo de "profundamente perturbador". O relatório é o resultado das apurações da empresa sobre o problema que provocou diversos acidentes, muitos deles com mortes.
"O que o relatório apontou foi um padrão de incompetência e negligência", afirmou a executiva da GM, em uma reunião com cerca de mil funcionários no centro técnico da companhia.
"Vamos assumir a responsabilidade pelos nossos erros e faremos tudo em nosso poder para garantir que isso nunca ocorra novamente". A apresentação foi transmitida para outros funcionários ao redor do mundo.
Mary Barra afirmou que a GM vai implementar um "programa de compensação" para as vítimas dos acidentes. O programa deve cobrir 1,6 milhão de veículos dos modelos de 2003 a 2007 e mais 1 milhão de 2008 a 2011 que apresentaram defeitos na ignição. A GM ligou 13 mortes ao defeito. Fonte: Dow Jones Newswires.