1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Incentivo fiscal irregular beneficiou AB InBev e outras multinacionais, diz UE

- Atualizado: 11 Janeiro 2016 | 11h 49

35 empresas multinacionais terão de pagar US$ 764,5 milhões em impostos na Bélgica

BRUXELAS - Cerca de 35 multinacionais, incluindo a cervejaria Anheuser-Busch InBev (AB InBev), terão de pagar aproximadamente 700 milhões de euros (US$ 764,50 milhões) em impostos na Bélgica, depois de reguladores na União Europeia chegarem à conclusão de que essas empresas foram beneficiadas por um incentivo fiscal irregular.

A Comissão Europeia, o principal regulador antitruste da UE, afirmou nesta segunda-feira que o incentivo fiscal belga concedido a grupos multinacionais, mas não a outras companhias, "representa uma distorção muito séria na concorrência dentro do mercado único" da região.

A decisão vem em um momento delicado para a AB InBev, que tem sede na Bélgica e está no meio de um complexo acordo para a aquisição da SABMiller, por US$ 108 bilhões. AB InBev e SABMiller são as duas maiores empresas do setor mundial de cervejas. 

As cervejas da Ab InBev e da SABMiller
Reprodução
Companhias formam a maior cervejaria do mundo

A Brahma é uma das marcas da Ambev, empresa controlada por subsidiárias da Ab InBev; veja mais detalhes sobre a fusão entre as duas maiores cervejarias do mundo http://oesta.do/1LI5F1W

Essa foi a última de uma série de decisões do gênero em Bruxelas que afetaram várias multinacionais norte-americanas, incluindo a Apple, a Amazon e a Starbucks. Segundo a comissão, a decisão de hoje atinge "principalmente empresas europeias".

Em comunicado, a chefe da divisão antitruste da UE, Margrethe Vestager, afirmou que o esquema fiscal belga "distorce a concorrência (...) ao colocar os competidores menores, que não são multinacionais, em pé de desigualdade".

Segundo Margrethe, a Bélgica concedeu a um grupo seleto de multinacionais "vantagens fiscais que desrespeitam as regras" da UE.

As preocupações giram em torno de uma provisão da lei belga que permite às companhias deduzir os chamados lucros excessivos de seus gastos com impostos - ganhos que supostamente são típicos de multinacionais. A AB InBev alega que cumpre todas as leis tributárias e outras regras relacionadas.

(Com informações da Dow Jones Newswires)

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX