Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » Jornal britânico 'The Independent' deixará de circular a partir de março

Negócios

Efe

Jornal britânico 'The Independent' deixará de circular a partir de março

Criada em 1986, publicação agora investirá na versão digital

0

EFE

12 Fevereiro 2016 | 15h59

LONDRES - Os jornais britânicos The Independent e The Independent on Sunday deixarão de circular e só contarão com uma versão digital, anunciou nesta sexta-feira a proprietária da publicação, ESI Media.

O dominical The Independent on Sunday sairá unicamente de forma digital a partir de 20 de março, seguido pelo The Independent em 26 de março.

Ao publicar a notícia, o grupo afirmou que pode haver alguns cortes de empregos, sem fornecer detalhes, embora também tenha dito que serão criadas 25 novas vagas na versão digital.

A ESI Media, cujo proprietário é o empresário russo Evgeny Lebedev, também confirmou que venderá o jornal i - uma versão menor do Independent e destinada aos cidadãos que se locomovem de metrô - à editora Johnston Press. O negócio, no entanto, ainda depende da autorização dos acionistas da Johnston Press.

"A decisão conserva a marca Independent e nos permite continuar investindo em conteúdos editoriais de alta qualidade que sejam atrativos para mais leitores em nossas plataformas online", afirmou hoje em comunicado Lebedev.

"A indústria da imprensa está mudando e esta mudança está sendo impulsionada pelos leitores. Eles estão nos mostrando que o futuro é digital", acrescentou o empresário.

A ESI Media indicou que o número de visitas à página digital do jornal aumentou 33% nos últimos 12 meses, por isso que considera viável aumentar seus acessos em 50% neste ano.

Os jornais fazem parte de um grupo em poder da família Lebedev, que tem outros ativos na área de comunicação, entre eles o vespertino Evening Standard e o canal de televisão local London Live.

O The Independent, focado no noticiário europeu, foi lançado em 1986. No fim de 2015, a sua circulação estava reduzida a 56 mil cópias. 

Mais conteúdo sobre:

Comentários